Home Colunistas A etapa mais difícil da história

A etapa mais difícil da história

For EDITORIAL USE only. Please credit correctly. For commercial enquiries please email images@volvooceanrace.comOlá, amigos leitores do DIARINHO! Hoje vamos conhecer os vencedores da sétima etapa da Volvo Ocean Race 2017-18. A cidade de Itajaí vai receber nesta terça-feira Team Brunel e Dongfeng Race Team (não necessariamente nessa ordem) após 7600 milhas náuticas. Como disse no título des[...]Assine o Diarinho
Conteúdo ilimitado do site por apenas
R$ 0,53 por dia no plano anual.
Se já possui cadastro ou é assinante faça o login
Acesso a 10 matérias por mês.
Faça o cadastro e tenha acesso a
10 matérias por mês.
For EDITORIAL USE only. Please credit correctly. For commercial enquiries please email images@volvooceanrace.comOlá, amigos leitores do DIARINHO! Hoje vamos conhecer os vencedores da sétima etapa da Volvo Ocean Race 2017-18. A cidade de Itajaí vai receber nesta terça-feira Team Brunel e Dongfeng Race Team (não necessariamente nessa ordem) após 7600 milhas náuticas. Como disse no título des[...]Assine o Diarinho
Conteúdo ilimitado do site por apenas
R$ 0,53 por dia no plano anual.
Se já possui cadastro ou é assinante faça o login
Acesso a 10 matérias por mês.
Faça o cadastro e tenha acesso a
10 matérias por mês.

For EDITORIAL USE only. Please credit correctly. For commercial enquiries please email images@volvooceanrace.com

Olá, amigos leitores do DIARINHO! Hoje vamos conhecer os vencedores da sétima etapa da Volvo Ocean Race 2017-18. A cidade de Itajaí vai receber nesta terça-feira Team Brunel e Dongfeng Race Team (não necessariamente nessa ordem) após 7600 milhas náuticas. Como disse no título desta coluna, a perna vinda da Nova Zelândia foi sim a mais difícil da história recente da regatona.
A força dos mares do sul, onde a prova correu por mais de 70% do percurso, foi determinante para causar estragos nos barcos e deixar as tripulações exaustas e machucadas. Ondas gigantes de até oito metros, neve, ventos superiores a 110 km/h e o frio extremo deram o tom.
Infelizmente, fomos obrigados a anunciar que um velejador se perdeu no mar. John Fischer, do Sun Hung Kai Scallywag, caiu do barco e não foi encontrado! Foi a oitava morte de velejador na história da regata. O resultado, é claro, fica em segundo plano. O Scallywag está a caminho da costa chilena e se retirou da etapa.
Outro barco que está fora e corre contra o tempo para voltar para Itajaí é o Vestas 11th Hour Racing. A equipe perdeu seu mastro e foi obrigada a ligar o motor. Eles precisam correr contra o tempo para poder largar para Newport em três semanas.
A sétima etapa também foi cruel para MAPFRE e Turn The Tide On Plastic. O primeiro fez um pitstop no Cabo Horn para consertar as velas. O segundo não está 100%, após ter sérios problemas na vela também.
Esses são os problemas de navegar pelos mares mais complicados do mundo. Não é pra qualquer um! A certeza que temos é que vamos celebrar a chegada de Martine Grael, provavelmente em terceiro lugar com seu AkzoNobel. Ela chega até quarta-feira à vila da regata de Itajaí.
Nos anos anteriores a gente viu alguns barcos com problemas por causa dos mares do sul. O próprio Dongfeng perdeu o mastro e se deu mal. Na primeira parada não veio Sanya e Abu Dhabi também. Essa é a Volta ao Mundo, essa é a regatona
Convido a todos a acompanhar a chegada dos barcos. Uma hora antes da chegada vamos abrir excepcionalmente os portões para o público. A partir do dia 5 será o dia todo! Venha ver os melhores do mundo em Itajaí!

Flávio Perez
Flávio Perez é jornalista esportivo e gestor de esportes.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com