Home Notícias Voz do Povo Trancar animais em carro vira caso de polícia em Itajaí

Trancar animais em carro vira caso de polícia em Itajaí

Em 30 dias, a cidade registrou dois casos de animais deixados nos carros pelos donos

Quem deixar cães e gatos trancados no carro pode responder por maus-tratos de animais

Dois casos de cachorros trancados em carros em menos de um mês alertam para o perigo da prática em Itajaí. Mesmo com o calorzão dos últimos dias, uma empresária flagrou um cachorro trancado em um carro no estacionamento de um mercado do centro. O carro estava no sol. Em outro caso, uma motorista vai responder por maus-tratos de animais porque deixou o animalzinho no carro durante o almoço.
Há cerca de três semanas, a empresária F.B., 33 anos, saía do mercado quando viu o cão trancado no veículo. O coitado estava ofegante e com a língua pra fora.
Ela pediu ajuda de funcionários do mercado e eles se mobilizaram para localizar a dona do carro. Anunciaram no microfone esperando que ela aparecesse, mas durante 15 minutos ninguém atendeu ao chamado.
F. conta que ligou para a polícia Militar e para ongs da região, mas ninguém apareceu no estacionamento.
Quando a proprietária do carro chegou, o cachorro estava mole de tão mal que estava passando. A mulher afirmou que costuma deixar o animal no carro quando precisa. A empresária ficou indignada com a situação.

Cuidados com o calor
Para o veterinário, Marco Antônio da Costa Marques, 48 anos, os cuidados com o animal de estimação devem ser os mesmos dados a uma criança, principalmente no verão.
Ele conta que um animal não precisa ficar muito tempo trancado para passar mal. “Não se deixa o animal com o vidro todo fechado, muito menos no sol. Quando for necessário, não por mais de 15 minutos, as janelas devem estar parcialmente abertas, o suficiente para ele respirar e não conseguir sair, e em local com sombra”, orienta.
O veterinário explica que quanto maior o calor, maior também a frequência respiratória. Sinais como o cão estar com a língua de fora e com a respiração rápida, servem de alertar que o animal tá mal.
O veterinário orienta que, nestes casos, seja acionado o corpo de Bombeiros, mas se o animal estiver passando mal, perdendo os sentidos ou mesmo desmaiado, o mais importante é ajudá-lo. “Eu não pensaria duas vezes em quebrar o vidro para resgatar o cachorro”, opina.

Dono pode responder por maus-tratos
A coordenadora da Associação Amor Animal, Suraia Sehn Pereira, 57, concorda com o veterinário e também orienta que, se for preciso, o carro seja aberto para ajudar o animal e depois se procure a PM para registrar o boletim de ocorrência. “Às vezes, tu não consegues salvar o animal antes do socorro chegar. Eu, como protetora, com o vidro todo fechado, salvaria primeiro o animal”, ressalta.
O dono que abandonar um cão trancado no carro pode responder pela Lei de Crime Ambiental, que prevê de três meses a um ano de detenção e multa “a quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”.

PM resgata cão trancado em carro
Na tarde de sábado, um cachorro foi resgatado pela polícia Militar. Ele estava trancado dentro de um veículo estacionado no centro de Itajaí. A dona estava almoçando e só apareceu uma hora após os policiais terem conseguido abrir a porta do carro e retirar o animal que estava ofegante e desidratado.
A PM registrou um termo circunstanciado, e ela vai responder por maus-tratos a animais.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com