Home Notícias Voz do Povo Ruas fechadas durante os jogos do Brasil

Ruas fechadas durante os jogos do Brasil

Evento é promovido por beach club, mas acesso é gratuito para qualquer pessoa, diz o dono. Pulseiras ‘vips’ custam de R$ 85 a R$ 5 mil

Os vizinhos do Habbitat Beach Club, na Praia Brava, em Itajaí, estão contrariados com o fechamento da rua João Manoel da Silva e um trecho da avenida José Medeiros Vieira, ao lado da lagoa do Cassino, onde vai funcionar a Vila da Copa, com a transmissão dos jogos do Brasil.
A prefeitura e um dos donos do beach club confimaram a interrupção do trânsito nos dias de jogos, mas falam que o acesso será gratuito a qualquer pessoa. Para quem quiser entrar dentro do Habbitat, a pulseira vip está sendo anunciada e custa de R$ 85 a R$ 5 mil.
A estrutura já está sendo montada e na madrugada de ontem um caminhão contêiner ficou estacionado ao lado da lagoa, ocupando as vagas de estacionamento. “Como a prefeitura pode permitir que uma empresa privada feche uma rua pública, atrapalhando a vida das pessoas!”, questiona um vizinho.
O instalador diz que o bar está montando toda a estrutura na rua. “Eles não têm autorização. Até ontem verifiquei com a secretaria de Urbanismo e eles têm autorização”, afirmou o vizinho.
O site Vem Pra Rua na Brava, o projeto mostra que a Vila da Copa ocupará toda a parte final da avenida e a rua transversal. Haverá telões e uma grande área de venda de comidas e bebidas em um terreno particular, em frente ao beach club.
A pulseira vip para a Vila da Copa está sendo vendida por R$ 85. O ingresso dá direito a um lanche, cinco chopes e um drinque. Se a pessoa comprar um pacote de sete jogos, o valor cai para R$ 70 por partida.
O valor aumenta se o cliente escolher assistir os jogos dentro do beach club. Os valores vão de R$ 120 a R$ 5 mil – com direito a levar seis pessoas como acompanhantes, já prevendo comida e bebida. Além dos jogos, há uma programação de shows musicais. Vai ter Dazaranha, Gazu e The Headcutters, entre outros.

Autorizou em partes
O secretário de Urbanismo, Rodrigo Lamin, informou que inicialmente o Habbitat queria fechar a rua João Manoel da Silva durante todo o mês da Copa e inclusive cobrir a rua, mas isso não foi autorizado pela prefeitura.
A secretaria só autorizou o fechamento da rua e do trecho da avenida nos três primeiros jogos da seleção brasileira. “Como se espera grande circulação de pessoas, por segurança, a rua será fechada para o trânsito de automóveis, motocicletas e afins. Aquela área ficará exclusiva para pedestres”, informou.
Alguns elementos decorativos estão liberados, como traves de treliças e fitilhos, pois não atrapalharam o trânsito. “Nenhuma atividade comercial acontecerá em área pública. O trânsito só será fechado em dia de jogos nos horários necessários”, explicou.
O coordenador da Codetran, Robson Costa, diz que só está esperando a autorização da secretaria de Urbanismo para providenciar o desvio no trânsito pelas ruas Richard Galm e a Renato Melim Cunha. Robson diz que é um trecho tranquilo e que não trará grandes problemas ao trânsito. fm n

Vila tem acesso gratuito, diz sócio
Ricardo Flores, um dos sócios-proprietários do Habbitat, explica que a Vila da Copa tem acesso gratuito. A estrutura de food trucks estará em área coberta com telões, mesas e instalada em um terreno particular.
Ele afirma que as ruas devem ser fechadas na hora dos jogos do Brasil para controle e segurança. “A única coisa que teremos nas ruas será a decoração, assim como em inúmeras ruas enfeitadas pelo país,” explicou.
Questionado sobre os valores das pulseirinhas vips, ele diz que elas só são exigidas para entrar no beach club. Quem ficar no espaço da Vila, não precisará delas para se locomover ou assistir aos jogos gratuitamente.

MP analisa
Sobre a denúncia ao Ministério Público, Ricardo disse que já sabia da ação. “Nas últimas duas semanas foram retiradas algumas coberturas, para melhorar a acústica, mas por causa da greve dos caminhoneiros atrasou e o material chegou somente esta semana. Então tivemos alguns problemas, mas que já estão sendo solucionados”, afirmou.
“Nosso intuito é entregar entretenimento de qualidade, sem prejuízos ou incomodações aos moradores das proximidades”, concluiu.

MP abriu investigação
Os vizinhos fizeram uma denúncia ao Ministério Público relatando que o Habbitat está funcionando, durante à noite, como uma balada. Um abaixo-assinado com mais de 40 assinaturas foi entregue no MP. “Era pra ser um beach club, passou a ser balada e agora estão fazendo festa à noite. Entramos com uma denúncia no MP relatando as irregularidades no alvará de funcionamento”, contou um morador.
O promotor Álvaro Pereira Oliveira Melo confirmou que abriu um inquérito civil no dia 8 de junho para investigar as denúncias. Ele agendou uma audiência para 18 de junho, às 14h. O proprietário deve levar ao MP os alvarás de funcionamento, da polícia Civil e do corpo de Bombeiros.

Compartilhe:

Deixe uma resposta