Home Notícias Voz do Povo Prefa passa patrola em rua enlamaçada

Prefa passa patrola em rua enlamaçada

Reclamação dos moradores de Camboriú surtiu efeito

A prefa de Camboriú deu uma geral na rua Édio Silveira Mafra, no Rio do Meio, que foi alvo de reclamações ao DIARINHO por conta do lamaçal, falta de coleta de lixo e de iluminação pública.
O secretário de Obras, Eliomar Getúlio Pereira, esteve no local e pediu urgência nos trabalhos. As máquinas foram patrolar a rua e colocar macadame – o serviço aconteceu até às 20h de quarta-feira e foi encerrado na manhã de quinta-feirapassada, depois de três horas de trabalho.
Por causa da lama, os caminhões de lixo ficaram quase 15 dias sem recolher o lixo. Com a manutenção, a coleta será retomada. “Na segunda-feira, todo o lixo será retirado bem cedo”, diz o secretário de Saneamento Básico, Alexandre Silveira.
Outra reclamação dos moradores era com os 15 postes sem iluminação. A manutenção é feita por uma empresa terceirizada, contratada pela prefeitura.
A prefa promete resolver também. Os problemas como lâmpadas queimadas, piscando, quebradas ou ligadas o dia todo devem ser comunicados à ouvidoria da prefeitura pelo telefone 0800 646 9500 ou na secretaria de Administração (47) 3365-9540. fm n

Calçada e terrenos cheios de lixo
O empresário Mauro Anacleto Zanchett, 53 anos, está há meses convivendo com um terreno sujo e cheio de mato, no bairro São Judas, em Itajaí. Ele já denunciou duas vezes o caso à prefeitura, mas até agora nada foi feito.
O terreno baldio fica na rua Fiúza Lima, ao lado do número 330. Mauro conta que, desde dezembro do ano passado, a prefeitura não aparece pra limpar o terreno. “Tá uma vergonha. Mato tomando conta. Tem até bicho. Na calçada, todo mundo deposita lixo. As pessoas não têm como passar. Com a administração anterior nunca acontecia isso”, fala.
Mauro diz que o dono do terreno teria roçado o lote, mas deixou a calçada com mato e lixo. Como ele não sabe quem é o proprietário, na tentativa de resolver o problema, já foi duas vezes pedir socorro na secretaria de Urbanismo. Os servidores justificaram a demora em resolver o problema, porque estariam com pouco pessoal.
Rodrigo Lamim, secretário de Urbanismo de Itajaí, não estava sabendo do caso, mas explica que a limpeza dos terrenos é de responsabilidade dos donos. A prefeitura manda uma intimação ao proprietário, que tem um prazo de 30 dias para fazer a limpeza.
Caso não dê jeito no terreno, ele leva multa. A prefeitura até pode fazer a limpeza através da secretaria de Obras, mas depende da demanda desse setor e depois o valor é cobrado através do carnê de IPTU.
Lamim diz que a maior dificuldade é localizar os donos de terrenos. “É complicado, o ideal seria os proprietários manterem os imóveis limpos”, fala.

Compartilhe: