Home Notícias Voz do Povo Povão está preocupado com onda de carrapatos

Povão está preocupado com onda de carrapatos

Povão está preocupado com onda de carrapatos

Moradores de alguns bairros de Itajaí reclamam que está difícil se livrar dos carrapatos e pulgas dos cachorros nos meses mais quentes do ano. Os nojentinhos estão tomando conta dos cães e dos quintais das casas.
Um pet shop do bairro São João notou o aumento de pulgas e carrapatos nesse início de ano. Os problemas vieram dos bairros Cordeiros, Imaruí, São João e São Vicente.
“Mas tenho clientes na Brava que também vem reclamando do mesmo problema”, conta a empresária, que preferiu não se identificar.
Lúcio Vieira, gerente do Núcleo de Controle de Zoonose, diz que há um aumento de chamados relacionados com carrapatos em pontos isolados da cidade, mas não há registro de um surto ou uma epidemia. “Temos relatos do bairro São Vicente, Cidade Nova, Cordeiros e Santa Regina. Mas são locais isolados, não há uma infestação de rua inteira ou do bairro inteiro”, explica.
Os técnicos do núcleo fazem visitas quando são informados de locais com carrapatos e dão orientações aos moradores.
Lúcio explica que existem locais mais propícios para carrapatos, como quintais com grama, brita, areia e muros inacabados. “Frestas de paredes, portas e janelas também podem causar uma infestação no ambiente”, comenta.
Pra controlar o parasita é importante que o morador procure uma agropecuária e compre um carrapaticida para aplicar no chão, plantas e canteiros. “Em todos os locais do ambiente da casa, mas isso é indicado para uma infestação alta”, completa.
Para evitar carrapatos nos cães, o dono deve manter o animal tosado, com pelos curtos e aplicar com frequência produtos para repelir os parasitas, como medicamentos para usar no pescoço do animal e via oral, entre outros. “Quando a infestação no animal é grande, se recomenda dar medicamento via oral”, orienta.

Pode adoecer gente
Lúcio diz que é importante que a população comunique o núcleo sobre o aparecimento de carrapatos ou pulgas para que o município faça uma visita técnica e oriente os moradores. O telefone é (47) 3249-5572.
“O cachorro é o hospedeiro do carrapato, quando não tem cachorro, ele vai migrar para o ser humano. Se o carrapato for encontrado em uma pessoa, ela deve procurar o posto de saúde para evitar pegar a febre maculosa”, finaliza. A doença causa febre, dor de cabeça e dores musculares. O tratamento é rápido e simples, diz Lúcio.

franciele
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com