Home Notícias Voz do Povo Não conseguiu registrar BO depois de ser agredida pelo ex-companheiro

Não conseguiu registrar BO depois de ser agredida pelo ex-companheiro

A vítima levou seis pontos no lábio. (Foto: Divulgação)

Uma denúncia de agressão contra a mulher acabou não sendo registrada pela delegacia de Gaspar. A denúncia foi feita por T.C.B., 36 anos, que levou socos no rosto e teve os lábios cortados pelo ex-marido e ainda sofreu ameaças de morte. A violência aconteceu durante uma viagem que os dois e o filho fizeram para a cidade de Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, no final do ano, para visitar parentes dele.

Ela conta que a discussão começou pelo sumiço de R$ 100 da sua bolsa. “Ele já estava bêbado, e foi aí que começaram as agressões”. O homem, que tem 35 anos, lhe deu vários socos no rosto que chegaram a abrir seus lábios. De acordo com a vítima, ele chegou a cortar os pneus do carro e destruir a porta do banheiro, local onde ela se escondeu com o filho autista que tem sete anos.

Após as agressões, a vítima registrou um boletim de ocorrência e fez exame de corpo de delito na cidade gaúcha, além de conseguir uma medida protetiva. “O delegado me aconselhou a realizar um novo exame na minha cidade”, conta.

Foi aí que os problemas começaram. T., foi até a delegacia de Gaspar, mas não teve sequer o boletim de ocorrência registrado. “A moça que estava de plantão falou que não poderiam fazer o exame de corpo de delito, pois tanto o IML de Itajaí, quanto o de Blumenau estavam fechados por conta das festas de final de ano. Ela me orientou se houvesse outras ameaças, ligar para o 190 e apresentar a documentação feita em Cruz Alta”.

T., só conseguiu realizar o exame e o boletim de ocorrência no dia três, em Blumenau. Com seis pontos na boca e muito assustada, ela reclama do atendimento. “A polícia de Gaspar não se preocupa com violência contra a mulher”, desabafa.

Perícia só em dias de semana

 Um policial civil da delegacia que pediu para não ter o nome divulgado, informou que em situações de violência contra a mulher, o BO é feito imediatamente. A orientação é que a vítima procure um hospital ou UPA, e com o prontuário emitido pelo médico, procure o IML em dias úteis para fazer a perícia.

O procedimento é feito toda segunda, terça e sexta-feira, das 13h às 18h. Em situações de flagrante, quando o agressor é detido no ato, é que a perícia é realizada em qualquer horário.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com