Home Notícias Voz do Povo Menina é internada por intoxicação com slime

Menina é internada por intoxicação com slime

Médica e químico alertam pros riscos de mexer com bórax sem supervisão

Crianças usam vários ingredientes químicos para fazer a geleca ‘slime’

Há mais de um ano uma febre toma conta da garotada de todo o Brasil: uma mistura gosmenta que recebe o nome de slime. A ideia é fabricar a própria amoeba, aquela massa pegajosa colorida. Receitas na internet fizeram com que os pequenos colocassem a mão na massa e criassem vários tipos e texturas da massa.
A meleca pode ser feita com diversos ingredientes, como água boricada, espuma de barbear, tinta, glitter, corantes, bórax (ou borato de sódio) e cola.
A brincadeira, apesar de deixar muita sujeira e manchar a roupa das crianças, parecia inofensiva. Só que o caso de intoxicação de uma criança de São Paulo acendeu o alerta aos pais. Os ingredientes do slime podem ser tóxicos?

Menina internada
O caso da menina Valentina, de São Paulo, mostrou que a brincadeira pode ser bem perigosa. Cris Pagano, mãe da menina, está com a filha internada por suspeita de intoxicação por slime. Ela contou, através das redes sociais, que a filha apresentou sintomas de gastroenterite, como diarreia e vômito.
Valentina passou por vários exames, mas nenhum apresentou alteração. Foi só quando o médico viu que a criança brincava com o slime, que se deu conta de que o brinquedo poderia ter causado a intoxicação.
O motivo seria a substância de bórax (borato de sódio) que está presente na receita caseira da massa.
Assim que a notícia se espalhou pelas redes sociais, várias pessoas disseram que a menina havia bebido o bórax e por isso teria ficado doente. Cris usou as redes sociais novamente pra esclarecer que Valentina não tomou bórax misturado com água.
Valentina tem um perfil nas redes sociais onde faz publicações ensinando a fazer a “geleca”. Logo após a intoxicação, ela publicou: “todos os dias no hospital, eu estava fazendo slimes porque sempre que recebia uma visita, eu ganhava mais materiais. Enquanto eu mexia com isso, ele penetrava na minha pele indo para a minha corrente sanguínea”, diz.
A mãe aproveitou a experiência pra alertar os pais. “Mães, proíbam o uso dos slimes! O médico já avisou à Vigilância Sanitária, que informou já ter outras ocorrências”, escreveu nas redes sociais.

Sintomas de intoxicação
A professora da Univali e médica gastroenterologista, Munique Kurtz de Mello, explica que os efeitos tóxicos do bórax para a saúde podem acontecer por ingestão, inalação ou contato, em especial quando houver machucados na pele e exposição constante ao produto.
Os sintomas da intoxicação são: dores de estômago; náuseas, vômitos, diarreia, dor de cabeça, letargia, irritabilidade e inquietação. “A evidência mais dramática de excesso de bórax é a vermelhidão da pele, que depois se desprende, especialmente nas palmas das mãos e nas solas dos pés. Atualmente estes casos de dermatites, que são relacionadas a estes efeitos da pele avermelhada e descamativa, é que soaram o alarme ao slime”, explica.
Pra a médica, a melhor coisa que os pais podem fazer é limitar a exposição das crianças a produtos químicos que contenham bórax. Se os pais perceberem sintomas de dermatites ou intoxicação, devem procurar imediatamente atendimento médico.
O bórax é vendido em farmácias de manipulação e em casas de produtos naturais. O quilo costuma custar cerca de R$ 25 reais.

Grandes quantidades de bórax são tóxicas

Falta de noção da dosagem do produto pode causar intoxicação

O professor e engenheiro químico Kartz Vinicius Benedt analisa que o borato de sódio, ou bórax, é um produto de baixa toxicidade. “O bórax não é tão tóxico para um produto químico, mas não deve ser manipulado por crianças, que são mais suscetíveis às intoxicações. Sem o conhecimento adequado de proporções e manuseio, elas podem ter problemas de saúde”, explica.
Outra dica é cuidado com as receitas encontradas na internet ou repassadas por youtubers. “Eles [youtubers] ficam dando receitas para fazer essa meleca na internet. Aí mora o perigo: eles não sabem a dose segura de bórax e podem acabar causando um problema de saúde”, explica.
Pros pais que quiserem jogar os slimes fora, o produto pode ser descartado no lixo comum, nos dejetos orgânicos da coleta de lixo. A informação é da empresa Ambiental que faz a coleta de lixo em Itajaí e Balneário Camboriú.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com