Home Notícias Voz do Povo Faltam vagas pra criançada do primeiro ano

Faltam vagas pra criançada do primeiro ano

Pais do São Judas e Espinheiros ficaram na mão

Cartaz na porta da escola Avelino Werner

Pais de alunos da rede municipal de ensino de dois bairros de Itajaí enfrentam dificuldade para encontrar vagas para os filhos. O problema acontece com as turmas do primeiro ano.
A filha da técnica de enfermagem Rita Ramos, estuda na creche Diva, do bairro Santa Regina, e vai pro 1º ano primário. A mãe conta que no dia 10 de novembro a creche ligou pedindo que ela pegasse um atestado de frequência e levasse no colégio Tereza Bezerra, no bairro Salseiros, pra fazer a matrícula da criança.
Rita ficou a tarde toda na fila e, pra surpresa dela, quando chegou sua vez, disseram que as vagas estavam esgotadas. “Falaram que somente ano que vem, se algum aluno desistir, ela pode conseguir a vaga. Fui em vários colégios do bairro Espinheiros, como o Rosa Heleno, Potter, fui até em um no sentido de Ilhota, e nenhum deles dispõe de aga para 1ª série”, conta, indignada.
O mesmo problema aconteceu com a professora Luciane Esteves, 38. Ela mora há pouco tempo no bairro São Judas e procurou a escola Avelino Werner, que fica perto de casa, para matricular o filho Vítor, de seis anos. Lá não encontrou vaga. “A secretaria de Educação me indicou uma escola distante e eu não terei condições de arcar com a despesa do transporte”, lasca. A mãe conta tem que 18 crianças na fila de espera da Avelino Werner.

Farão levantamento
A secretaria de Educação diz que nos dias 13 a 14 de novembro foram matriculados os alunos da educação infantil. Os pais que não conseguiram vagas foram orientados a deixar o nome em uma fila de espera. Também houve orientação pra procurarem vagas em outras escolas da rede.
Essa semana abriu o período de matrícula para alunos novos. Os pais devem procurar a escola desejada. As unidades que já preencheram as turmas estão colocando as crianças em lista de espera.
Na semana que vem, a secretaria fará um levantamento dos alunos em lista de espera, em todas as unidades escolares, agilizando o encaminhamento às escolas que ainda tem vagas. Caso não tenha vagas nas escolas próximas das casas, a secretaria estuda o deslocamento dos alunos com o transporte escolar.

franciele
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe: