Home Notícias Voz do Povo Braço de criança fica torto por “descaso” de hospital, acusa o pai

Braço de criança fica torto por “descaso” de hospital, acusa o pai

G. está indignado com a “incompetência e descaso” do hospital de Navegantes. Há duas semanas, mais certamente, há 13 dias, o filho dele, A.D.R.N., três anos, quebrou o pulso em dois lugares e, por isso, o pai levou a criança ao hospital. Quando o filho reclamou de dor, o pai voltou no hospital e descobriu que o osso do menino estava calcificando “torto”.

No dia do primeiro atendimento, o hospital tirou raio X do pulso da criança. Depois disso, o pai esperava que o braço do menino fosse engessado, mas só colocaram uma tala na fratura. “É inaceitável isso”, desabafa o pai.

Onze dias depois, quando as dores no pulso voltaram e o pai levou a criança de novo ao hospital, a médica que lhe atendeu explicou que como o braço do menino foi imobilizado na posição errada, a calcificação estava ficando torta. Ela chegou a chamar o rapaz responsável por engessar e colocar talas nos pacientes, mas ele não apareceu. “O covarde do cara nem sequer apareceu lá pra arrumar quando essa doutora disse que estava torto”, diz o pai.

No mesmo dia, os pais de A. o levaram no hospital Pequeno Anjo. O médico se negou a fazer o raio X e colocar outra tala. “Só pedia pra gente procurar um ortopedista”, explica o pai. “Batemos o pé, porque queríamos e era nosso direito. Aí eles colocaram uma tala bem mal colocada”, completa.

Na segunda-feira, procuraram um ortopedista particular. Segundo o pai, o doutor disse que o braço do menino deveria ter sido engessado na data em que foi quebrado. “Não era pra ter feito uma tala. O médico disse ao pai que o braço do pequeno A. vai ficar com sequelas. “É inadmissível isso”, diz G. indignado.

O hospital de Navegantes disse que o menino teve todo atendimento necessário do pediatra, ortopedista e gesseiro.

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com