Home Colunistas Coluna Histórias de Itajaí Itajaí na Segunda Grande Guerra (I)

Itajaí na Segunda Grande Guerra (I)

Cairu, afundado pelos alemães, tinha marinheiros itajaienses em sua tripulação

Quem já não escutou uma história sobre o que acontecia em Itajaí no período da Segunda Guerra Mundial? Apesar de Itajaí estar bem longe do cenário principal da guerra muita coisa foi feita por aqui por conta desse grande conflito mundial.
Muitas histórias foram ganhando tom de deboche ao longo dos anos, enquanto outras, merecendo estudos mais aprofundados de pesquisadores. Ficou como deboche, por exemplo, a ideia de sair à noite para “ver submarinos alemães” no litoral de Itajaí. Mereceu estudos sérios, por exemplo, a perseguição aos descendentes de alemães proprietários de rádios.
Itajaí foi acordada em definitivo para a Grande Guerra no final do ano de 1941 quando os submarinos alemães começaram a bombardear e colocar a pique a frota de navios mercantes brasileiros que habitava os oceanos do mundo, tendo na sua tripulação marinheiros itajaienses.
O primeiro grande desastre envolvendo marinheiros itajaienses ocorreu no dia 8 de março de 1942, com o afundamento do navio CAIRU que contava na sua tripulação com os serviços de Benjamin Franklin Pereira (imediato) e Pedro José João.
O Cairu era um navio da Companhia de Navegação Lloyd Brasileiro e estava fazendo a escala Rio de Janeiro – Belém do Pará – Nova York. Carregava carga geral e 89 pessoas entre tripulantes e passageiros. Por volta das 20 horas e 30 minutos (horário de Brasília), quando navegava a cerca de 130 milhas a sudeste de Nova York, escutou-se um forte barulho. Era o primeiro míssil lançado pelo submarino alemão U-94. O míssil não explodiu e todos os tripulantes e passageiros puderam ocupar as baleeiras que serviam de salva-vidas, desocupando totalmente o Cairu.
O comandante do navio chegou a ser interrogado sobre a carga do Cairu pelo comandante do submarino alemão, que em seguida deu ordem para o disparo de um segundo míssil. Esse acertou o Cairu no meio. O navio não suportou a forte explosão e afundou. Das 89 pessoas a bordo apenas 36 foram resgatas com vida. O restante morreu de frio durante os três dias que ficou a deriva no mar até a chegada do socorro.
Em primeiro de maio de 1942, as forças bélicas alemãs afundaram o cargueiro PARNAÍBA, também da Companhia Lloyd Brasileiro, com destino a Nova York. O Parnaíba foi bombardeado no Mar das Antilhas tendo a bordo os itajaienses Francisco Diegoli (comandante) e Oscar Soares (segundo piloto). Só que dessa vez a sorte sorriu para todos os 66 ocupantes do Parnaíba que foram resgatados pelo navio espanhol Cabo Horn.
Em 27 de setembro de 1942 os alemães afundaram o navio OSOo litoral do estado do Pará. Na oportunidade faleceu o radiotelegrafista – Francisco Moacir Paiva – casado com a itajaiense Luci Leal Paiva, filha de Antonio Joaquim Leal e sobrinha de Dionísio Veiga.

Cairu, afundado pelos alemães, tinha marinheiros itajaienses em sua tripulaçãoQuem já não escutou uma história sobre o que acontecia em Itajaí no período da Segunda Guerra Mundial? Apesar de Itajaí estar bem longe do cenário principal da guerra muita coisa foi feita por aqui por conta desse grande conflito mundial.Muitas histórias foram ganhando tom de deboche ao longo dos anos, enquant[...]Assine o Diarinho
Conteúdo ilimitado do site por apenas
R$ 0,53 por dia no plano anual.
Se já possui cadastro ou é assinante faça o login
Acesso a 10 matérias por mês.
Faça o cadastro e tenha acesso a
10 matérias por mês.
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com