Home Notícias Variedades Balneário vai ter museu da imagem e do som

Balneário vai ter museu da imagem e do som

Museu vai abrir no dia 20 de julho, com mais de duas mil peças no acervo

Peças estão instaladas num prédio de seis andares e foram garimpadas em vários continentes durante cerca de 40 anos

Projetores, lanternas mágicas, máquinas fotográficas, filmadoras, rádios, gramofones, vitrolas, televisores e muito outros equipamentos raros e antigos que ajudam a contar a história mundial da fotografia, do rádio e do cinema. Esses são alguns dos mais de dois mil itens do acervo do Museu da Imagem e do Som que será inaugurado no próximo dia 20, uma sexta-feira, em Balneário Camboriú.
Instalado em uma área de 1364 metros quadrados e ocupando um prédio de seis andares especialmente construído para abrigá-lo bem no centro da cidade, o museu oportuniza um contato direto com o mundo do cinema, da fotografia e das transmissões radiofônicas. É a história da imagem e do som contada desde o século 19 ao redor do mundo.
Cinema em Balneário
O equipamento cultural mostra aspectos curiosos do desenvolvimento da indústria do segmento. Entre as peças que fazem parte do acervo estão, por exemplo, os projetores que fizeram parte dos Cinerama, Autocine e Cine Itália – primeiros cinemas de Balneário Camboriú no século 20.
Um gramofone fabricado em 1890 em Londres (Inglaterra) e ainda um filme original de 9,5 milímetros de Charles Chaplin datado de 1917 também fazer parte das muitas curiosidades do museu.
Além da imagem e do som, no último andar do museu, uma seção especial dedica-se a contar parte da história do mercado financeiro brasileiro e internacional através de cédulas e moedas de diferentes países, além de uma coleção rara de selos.
Administrado pelo Instituto Delatorre, sob o comando do empresário Fernando Delatorre, o MIS-BC resgata a história da imagem e do som em seus mais variados aspectos. “Buscamos implantar uma proposta museográfica moderna, segmentada em áreas temáticas, que inclui também a filatelia e numismática, permitindo realizar uma viagem no tempo”, destaca Fernando, que durante 40 anos percorreu o mundo garimpando peças.
Na edição do próximo sábado, Fernando Delatorre é o personagem do Entrevistão. Ele vai contar detalhes da criação do museu e também a história da criação dos cinemas que sua família implantou em Balneário Camboriú, a partir do final da década de 60.
O prédio do Museu da Imagem e do Som fica no número 44 da rua 700, no centro de Balneário Camboriú.

Compartilhe:

Deixe uma resposta