Série B sub-23

Série B sub-23
Infelizmente, o Campeonato Catarinense da Série B será mesmo sub-23. A justiça não concedeu ainda uma liminar definitiva para barrar a limitação de idade na competição e a Federação Catarinense de Futebol entrou na disputa judicial para manter o sub-23. Em reunião acalorada na segunda-feira, quatro clubes se manifestaram contra o sub-23: Marcílio Dias, Camboriú, Blumenau e Juventus. Mesmo que uma liminar seja concedida para que essas equipes usem jogadores com idade livre, o risco de ter a liminar cassada durante a competição é eminente, podendo custar até um rebaixamento por perda de pontos por não cumprir o regulamento. Dessa forma, teremos mais uma Série B de nível fraco, para deleite dos times de empresários, que não possuem torcidas significativas e jogam pensando em interesses econômicos. Perde, mais uma vez, o futebol catarinense.

Reforços no Marinheiro
O primeiro nome anunciado oficialmente pelo Marcílio Dias foi o atacante Abner, campeão pelo Concórdia. Muito rápido pelas pontas, Abner tem 22 anos e foi um dos destaques do ano passado. Outro nome do Concórdia que pode pintar no Gigantão é o atacante Wilson Júnior, de 26 anos. Também destaque do Galo do Oeste em 2017, Wilson Júnior teria optado por defender o Marcílio ao invés de seguir no Brusque, segundo informações da própria imprensa da cidade vizinha. Já Safira, primeira opção de Renê Marques para vestir a 10 do Marcílio nesse ano, teria renovado com o Brusque até o fim do ano, obrigando o Marinheiro a buscar outra opção. Dos que passaram por aqui no ano passado, o goleiro Rafael Kahn e o zagueiro Rogélio são dados como certos. A intenção do departamento de futebol é ter sete jogadores acima de 23 anos no elenco, sendo que só cinco podem ser relacionados por partida.

Schwenk de volta
O experiente Schwenk também pode voltar ao rubro-anil neste ano. O jogador tem se reunido com a diretoria nos últimos dias para buscar um acordo. A intenção dele seria encerrar a carreira no clube, fixando residência definitiva na cidade. Se a sua contratação não pesar na folha de pagamento do Marinheiro, é uma boa opção para o elenco, mas não para ser o camisa 9 da equipe. Com jogos quarta e domingo, o artilheiro não tem mais condições físicas de estar em campo em todos os jogos, até por estar acima do sub-23. Porém, pode ajudar muito fora de campo, servindo de exemplo para os atletas mais jovens, que serão maioria no grupo.

Barroso em silêncio
Enquanto no Marcílio as contratações e especulações estão a todo vapor, o Barroso trabalha em silêncio. O que se sabe é que o alviverde irá priorizar jogadores que estão atuando em Santa Catarina, até pelo alto custo da transferência de um atleta de outra Federação. O sigilo deve acabar em breve, já que a pré-temporada deve começar a partir do dia 20.

Coluna do Janio
Coordenador de esportes da Rádio Univali na empresa Universidade do Vale do Itajaí.
Compartilhe:

Deixe uma resposta