Home Notícias Política Volnei anuncia mais cinco nomes

Volnei anuncia mais cinco nomes

Administração, Procuradoria-Geral, Agricultura, Fundação Cultural e Turismo já tem seus chefões escolhidos

Mais cinco nomes do futuro secretariado foram anunciados ontem à tarde por Volnei Morastoni (PMDB), o prefeito eleito de Itajaí. Com isso, chega a 10 o número dos integrantes indicados para o primeiro escalão da prefeitura peixeira, de um total de 19 secretários e sete superintendentes de fundações ou autarquias municipais.
Normélio Weber, Vilson Sandrini Filho, Sílvina Benvenutti, César Reinhardt e Evandro Neiva foram os nomes anunciados oficialmente ontem (veja abaixo o currículo dos novos secretários, o que assumirão e o que pretendem fazer nas respectivas pastas).
Pelo menos dois deles vão acumular cargos. Normélio será ao mesmo tempo superintendente da Fundação Cultural e chefão da fundação Genésio Miranda Lins, que é a responsável pelo museu e pelo arquivo histórico. A advogada Sílvia será a procuradora-geral do município e tocará também a procuradoria do porto de Itajaí.
De acordo com Volnei, os nomes foram escolhidos com o aval dos partidos que compõem o frentão que o levou à prefeitura. Mas, garante, a qualificação dos indicados foi critério básico. “Nossa intenção é realizar um governo técnico, para bem atender a todos os itajaienses”.
Não foi informado quando Volnei irá divulgar o nome dos secretários que ainda faltam compor seu governo.

Outros mandachuvas
Os demais secretários, já anunciados na semana passada são: Marcelo Salles na superintendência do porto de Itajaí; Marcelo Sodré na direção geral do Semasa; Amarildo Madeira na secretaria de Obras; Celso Dellagiustina na secretaria de Saúde; e Elisete Furtado na secretaria de Educação.

Quem são os novos secretários e o que eles prometem

Vilson Sandrini Filho – secretaria de Administração
Quem é: Advogado, com especializações e mestrado. Já exerceu o cargo de Procurador Geral da Univali e também compôs o grupo da Administração Superior da universidade.
O que promete: Fazer um grande levantamento assim que sentar na cadeira. “Vamos fazer a identificação de todo o corpo de funcionário, onde estão lotados, qual é a origem deles, além de averiguar o patrimônio e a locação de imóveis ocupados pelo poder público municipal”, adianta. Garante que vai ouvir muito os servidores efetivos. “Muitos deles já têm opiniões formadas em decorrência do longo tempo que estão na atividade”, argumenta. Vai continuar com o cinto apertado. “O controle das despesas públicas é o foco geral da gestão”, avisa. Garante que não vai bater de frente com o pessoal do sindicato dos Servidores Públicos Municipais. “Estamos abertos para conversas, para o diálogo. Essa é uma das características, essa abertura e possibilidade de conversar”, anuncia.

Silvia Wanderlinde Benvenutti – procuradoria-geral e do Porto
Quem é: Já atuou como procuradora-geral da prefeitura e na assessoria jurídica do porto de Itajaí. Tem mestrado em Ciência Jurídica, especialização em Direito Tributário, formação em Gestão de Negócios Imobiliários e perícia judicial imobiliária.
O que promete: Durante o trabalho de transição, já produziu com sua equipe 10 metas para os 100 primeiros dias de governo. Uma delas é fazer o trabalho de consultoria e assessoramento jurídico das ações de governo da forma mais eficiente, pra diminuir o os passivos judiciais. Propor ações de negociação e cobrança de dívidas municipais. “Já temos um Refis (programa de refinanciamento) que será executado o ano que vem e que pode ser aprimorada a abrangência dele sem o risco da renúncia de receita”, adianta. Dar um upgrade no ambiente de trabalho e nas tecnologias à disposição dos procuradores. “Temos hoje mais de 120 mil processos em trâmite. Precisamos ter um espaço físico condizente com o trabalho para gerar um bom resultado”, conclui.

César Reinhardt – secretaria de Agricultura
Quem é: Engenheiro agrônomo. Já foi três vezes secretário da pasta (dois com de Arnaldo Schmitt e um com João Macagnan). É consultor do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura da Organização dos Estados Americanos (OEA) e para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
O que promete: Vai trazer de volta a Festa do Colono. Mas serão os agricultores quem decidirão o formato da festa. “Se querem uma festa grande ou mais voltada para a cultura local, é eles quem vão dizer. De acordo com o que a comunidade decidir, nós vamos proceder”, afirma. Vai refazer a forma como se agenda o uso da patrulha mecanizada que, pelo que viu durante o período da transição, não estaria conseguindo atender todos os produtores. Também pretende aumentar a extensão rural. “Estou montando uma equipe de técnicos bastante capacitados, bastante experientes”, diz. Inclusão dos agricultores em programas de aquisição de alimentos e na produção orgânica também está nas metas.

Evandro Neiva – secretaria de Turismo
Quem é: Empresário do setor de promoção e eventos, já foi diretor das rádios Joven Pan, Transamérica, Mix FM e 102 FM. Trabalhou no setor comercial de casas noturnas, como a Green Valley.
O que promete: Reorganizar o calendário turístico da cidade. “E realizar um plano municipal de turismo, em conjunto com Sebrae, Univali e Convention Bureau”, afirma. Também garante que a festa do Colono vai ser reativada. Diz ainda que vai retomar a conversação com as operadoras de turismo para que Itajaí volte a fazer parte da rota de transatlânticos. Já adianta que não vai ter desfile de Carnaval no ano que vem, porque, segundo ele, a Liga Carnavalesca ainda tá com pendências na prestação de contas. “Mas vamos fazer um grito de carnaval perto do mercado, retomar as marchinhas e usar isso para chamar todo mundo que quer o carnaval e debater o tipo de festa que queremos para a cidade”. A Marejada também vai virar debate público.

Normélio Weber – fundações Cultural e Genésio Lins
Quem é: filósofo, historiador e sociológico. Já dirigiu o coral da Univali, foi secretário adjunto de governo, diretor da Indústria e Comércio de Itajaí e secretário de Comunicação. Também foi dono de escola privada.
O que promete: Levar atividades culturais para as comunidades. “O programa Arte nos Bairros vai voltar com toda a força e vai ser a bandeira número 1 da gestão”, garante. Informa que já está encaminhando projeto de captação de recursos pela lei Rouanet para fazer o festival de Música de Itajaí. “Esse ano é a 20ª edição do festival e tem que ser marcante”, ressalta, completando: “Em janeiro vamos montar a comissão organizadora e vamos atrás de possíveis patrocinadores para captar recursos significativos para fazer o festival de Música”. Priorizar a solução da dívida de R$ 700 mil com artistas por conta dos editais culturais. Implantar tecnologias digitais de consulta no arquivo histórico.

Compartilhe: