Home Notícias Polícia Vendeu videogame pra falso policial Militar e caiu no maior golpe

Vendeu videogame pra falso policial Militar e caiu no maior golpe

Um morador de Itajaí colocou à venda um vídeo game através do Facebook. Um usuário da rede social, se passando por policial Militar, se mostrou interessado no X-Box One. Os dois negociaram até chegar no valor de R$ 1600.
O comprador, logo depois, mandou um print com o suposto comprovante de pagamento, como se já tivesse feito a transferência bancária para a conta do vendedor. Eles marcaram o encontro em Balneário Camboriú para o comprador, que se dizia policial Militar, buscar o videogame.
Na hora de pegar o aparelho, o PM não apareceu. Ele mandou um suposto sobrinho. “Nem conversamos muito, ele só pegou o videogame e falou que estava tudo certo. Eu respondi que sim, porque ele já tinha me mandado o print da transferência bancária”, conta.
Só que a transferência bancária foi feita no domingo e só entraria na conta na segunda-feira. “Até agora o valor não caiu na minha conta. Minha indignação é que a gente trabalha, conquista, come o pão que o diabo amassou, para vir um cara desses e roubar a gente. E o safado ainda se diz ser policial militar,” desabafa o rapaz.
Após entregar o aparelho, o falso PM parou de responder o WhatsApp da vítima. Um dia depois, ele mandou um áudio chamando o rapaz de “otário e que tinha perdido o vídeo game”.
Já foi do Exército
Outra pessoa relatou que o mesmo golpista se passou por membro do Exército para comprar uma TV que viu em um anúncio pela internet. A pessoa, que é moradora de Porto Alegre, só não virou vítima do cara, porque não aceitou entregar o aparelho antes que o dinheiro, de fato, caísse na conta.
“Ele disse que depositou R$ 1100, mandou comprovante e o dinheiro não caiu. Ele disse que já estava mandando Uber pra buscar a TV, mas eu não sou burra, disse que só iríamos entregar a TV quando o dinheiro caísse na conta – mas o valor não caiu até agora”, conta.
Conferir
A vítima registrou o caso na polícia Civil. O rapaz tem guardado todos os áudios e conversas com o golpista.
O delegado Angelo Fragelli informou que tem dois golpes desse tipo registrador na delegacia. Em outro caso, o golpista estava se passando por sargento da Marinha.
A orientação da polícia é para que as pessoas só entreguem os bens após conferir se o dinheiro está na conta. O ideal é evitar transações nos finais de semana e nunca entregar o bem se aparecer no extrato bancário como “depósito agendado”.
“Em caso de depósito agendado, eles cancelam logo após pegar o bem. A recomendação é muito simples: não entregar o bem sem o dinheiro estar efetivamente na conta”, explicou.
Ameaçou matar
A reportagem do DIARINHO entrou em contato com o golpista por Whatsapp. O homem leu os questionamentos da reportagem e enviou um áudio xingando e ameaçando matar a repórter. “Eu vou chamar o PCC, o PGC, vou chamar um bando e mandar te matar, seu fdp…”, mandou através de áudio.

Fran Marcon
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com