Home Notícias Polícia Usuário de maconha é agredido ao vivo por policial de folga

Usuário de maconha é agredido ao vivo por policial de folga

Rapaz foi atacado enquanto denunciava agressão sofrida pouco antes

Um rapaz que estava fumando maconha na orla da praia em Itapema denunciou durante uma live que foi agredido por um policial à paisana. No momento em que fazia o vídeo, ele mostra o policial, que estava com a mulher. Após dizer que o policial ficaria “famoso no Youtube”, o rapaz é atacado pelo agente. O celular chega a ficar fora do ar. Depois, o morador faz um novo vídeo, em casa, mostrando que teve ferimentos na boca e escoriações no braço e na perna que seriam da agressão.

Durante a live, o rapaz relata que foi à praia pra fumar maconha. “Mais uma vez vim aqui na praia, fazer o que faço de costume, fumar um baseadinho e ficar de boa, sem ser incomodado”, conta. “Eu fui agredido covardemente por um policial, não me deu nem chance de reação”, completa.

Na gravação, ele questiona a abordagem do policial, que é mostrado caminhando pela orla com a mulher. “Aqui não é lugar pra maconheiro”, diz o policial no vídeo. O rapaz dá a entender que as imagens serão divulgadas e que o policial ficará “famoso”. “Vou ficar famoso, só que as pessoas de bem vão me apoiar, porque isso aqui não é pra maconheiro não, rapaz”, responde o agente.

Ele manda o rapaz ir embora e depois parte pra cima dele, com a gravação sendo interrompida. Depois, o rapaz mostra que foi machucado em novo vídeo. “Nada muito grave, mas mesmo assim fiquei com algumas escoriações”, afirma.

Segundo o comandante da PM de Itapema, capitão Geraldo Rodrigues, não cabe abertura de inquérito policial militar no caso porque o policial estava de folga, se tratando de crime comum. Ele informou que teve conhecimento do vídeo pelas redes sociais. “Ele [o rapaz] deve procurar a corregedoria”, ressaltou, sobre a necessidade de formalização da denúncia.

Outros casos

Esse foi o terceiro caso de denúncia de violência policial por agentes de segurança gravadas desde junho na região. No mês passado, um vídeo de câmera de monitoramento flagrou guardas municipais de Itajaí numa sessão de espancamento contra um motoqueiro que não oferecia qualquer resistência. A vítima, de 26 anos, foi derrubada e atacada com chutes e golpes de cassetete.

Os dois agentes que aparecem nas imagens foram afastados do cargo. No total, 10 guardas envolvidos no caso são alvos de um processo administrativo com prazo pra ser concluído nesse mês. Um dos agentes foi encontrado morto em Joinville após o episódio da agressão. Ele teria se suicidado.

Na última sexta-feira, o funcionário de uma marina na barra Sul, em Balneário Camboriú, foi agredido por dois policiais durante abordagem enquanto chegava pra trabalhar. O marinheiro, de 28 anos, leva um soco no rosto, cai na rua e é golpeado com chutes também no rosto. O carro do funcionário é revistado mas nada de irregular foi encontrado.

O comando-geral da PM de Santa Catarina informou que os policiais envolvidos foram afastados após o episódio. Um inquérito militar foi aberto “para apurar os excessos” dos policiais, segundo a corporação, e segue em andamento. Novas medidas dependerão da conclusão do inquérito, no prazo de 30 dias.

“A corporação considera tratar-se de fato isolado, o qual não condiz com a formação e a preparação dos policiais militares catarinenses. Uma vez estabelecida a verdade sobre os fatos as medidas correcionais serão rigorosamente aplicadas”, diz a nota oficial.

João Batista
Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Associação Educacional Luterana Bom Jesus/Ielusc, de Joinville (SC). E-mail: geral.diarinho@gmail.com
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com