Home Notícias Polícia Professor é pego molestando aluna em praça pública

Professor é pego molestando aluna em praça pública

O flagra foi feito pelo próprio pai da adolescente de 13 anos

Encontro aconteceu na pracinha do Costa Cavalcante e foi registrado pelo pai

Um professor de inglês da rede municipal de Itajaí foi detido na tarde dessa sexta-feira, 20, acusado de molestar uma aluna de 13 anos. O encontro aconteceu em uma praça no bairro Costa Cavalcante e foi flagrado pelo próprio pai da garota. O homem de 38 anos foi levado para a delegacia, mas foi solto em seguida. Um inquérito policial será instaurado para saber se ele responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

A atitude suspeita da menina foi notada pelo pai ainda na quinta-feira, 19, quando ela disse que precisava ir até a escola para aulas de reforço. À noite o professor foi até a casa da família alegando que seu celular havia sido roubado e que precisava conversar com a garota. “Ele só veio pra me conhecer. De certo queria ver se aqui tinha um pai banana e frouxo”, disse o pai da vítima.

No outro dia a filha disse que precisava se encontrar com uma amiga em uma praça. O pai levou, mas ficou vigiando. Foi aí que veio a confirmação. Quem apareceu para o encontro foi o professor. Os dois sentaram em uma mesa, conversaram e se beijaram. Tudo registrado pela câmera do pai. Foi nesse momento que ele interveio e com a ajuda de outros moradores, seguraram o professor até a chegada da PM.

Ele foi levado para a delegacia de polícia onde foi interrogado. Os aparelhos celulares da vítima e do professor passarão por uma perícia que ajudarão no inquérito policial. De acordo com o delegado, Rodrigo Andrade, o beijo foi consentido e por isso não foi considerado tão grave.

A garota está a um mês de completar os 14 anos de idade. Enquanto isso, o caso ainda pode ser enquadrado como estupro de vulnerável com pena mínima de oito anos de prisão. “Um beijo consentido não traz os mesmos problemas psicológicos do que um estupro forçado, por isso vamos abrir o inquérito para saber se é cabível aplicar a pena”, disse o delegado.

O pai afirmou ao DIARINHO que a garota apagou todas as mensagens do celular no momento do flagra. Em casa ela se recusa a tocar no assunto, mas para a polícia ela admitiu que vinha se encontrando com o professor.

A assessoria de imprensa da secretaria de Educação informou que a partir de segunda-feira, 23, o departamento jurídico da prefeitura vai analisar se o professor admitido em caráter temporário deve ser demitido.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com