Home Notícias Polícia Justiça nega habeas corpus para assassino de motorista

Justiça nega habeas corpus para assassino de motorista

Briga começou na casa noturna Kubanacan. (Foto: arquivo)

Um dos cinco acusados de matar Luciano da Silva, de 31 anos, depois de uma briga na casa noturna Kubanacan vai continuar preso. Na terça-feira, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, sob relatoria do desembargador Sérgio Rizelo, negou o pedido de liberdade.
O crime aconteceu em junho de 2018, por volta das 6h30. A vítima, ao manobrar o carro, bateu em uma moto. O motociclista começou uma discussão com o motorista do carro. Depois disso, o motociclista chamou mais três amigos e uma amiga pra ajudar acertar as contas com o motorista. Dos cinco, quatro deles estavam armados com facas e foram atrás da vítima em três carros diferentes.
Eles encontraram a vítima caminhando e o motociclista, que agora estava em um Palio, subiu na calçada e a atropelou. Mesmo com a vítima ferida e, segundo o Ministério Público, sem esboçar qualquer sinal de defesa, três homens, sendo um deles esse que pediu o habeas corpus, mataram o motorista com facadas no rosto, tórax, coxas e costas. A mulher e o quarto homem deram cobertura pros assassinos.
Um dos autores do assassinato argumentou no pedido de habeas corpus que a prisão preventiva não teria sido suficiente fundamentada. O magistrado da 1ª Vara Criminal de Itajaí defendeu a prisão preventiva dos denunciados.
O crime é um homicídio qualificado, pelo motivo torpe e impossibilidade de defesa. Os desembargadores negaram por unanimidade o pleito do HC.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com