Home Notícias Polícia Corretor de imóveis acusa enteado de agressão; rapaz nega e diz que cara bate na ex-mulher

Corretor de imóveis acusa enteado de agressão; rapaz nega e diz que cara bate na ex-mulher

Delegado vai ouvir os envolvidos na confusão

O corretor de imóveis Paulo Roberto Correa, 69 anos, entrou em contato com o DIARINHO para denunciar uma suposta agressão que sofreu do enteado, de 36 anos, e da mulher dele, na noite do dia 10 de outubro. O casal nega a acusação. A ex-mulher de Paulo, mãe do acusado, registrou um BO por agressão contra o ex.

O senhor conta que o enteado teria arrastado ele pra fora da cama, no sítio que fica no Rio do Meio, em Camboriú, e lhe dado vários socos. “Eu tinha acabado de jantar na casa da mãe dele, com quem vivo há 30 anos, e após a janta me deitei na cama e fui descansar. Ele desligou as luzes da casa e entrou na minha residência, me puxou pra fora da cama e me arrastou pelo corredor enquanto dava vários golpes e tapas na cabeça e no meu rosto”, narra.

Paulo acredita que o motivo da agressão seja por brigas de  patrimônio.  “Ele sabe que vai precisar entregar o ponto do clube dele no ano que vem, e quer ocupar meu sítio para fazer uma estrutura maior e refazer o Majestic na minha chácara, que possui aproximadamente 27 mil metros quadrados de terra”, alega o corretor.

Paulo diz que foi humilhado pelo enteado. “Me senti muito humilhado. Já fiz um boletim de ocorrência e vou abrir um inquérito contra ele, gostaria que a justiça fosse feita”, falou.

O padrasto conta que ele e o enteado nunca tiveram bom relacionamento. “Continuadamente havia brigas porque ele nunca queria trabalhar”, alega.

Agressor de mulher

A.A.G.J. e D.S. negam as agressões alegadas por Paulo. Eles afirmam que o sítio é da mãe de A. e que Paulo tem um apartamento em Balneário. No dia da confusão, A. foi até o sítio porque Paulo teria batido na mãe dele.

O casal viveu junto por 30 anos, mas há seis anos estaria separado. Apesar disso, o corretor segue frequentando a casa da família, diz o enteado.

No dia da confusão, além de bater na mãe de A., Paulo a teria trancado para fora de casa. “Ele trancou o portão de acesso ao sítio com o carro pra minha mãe não poder entrar. Eu cheguei lá, parei meu carro na frente, empurrei o portão, e fui lá na casa. Chamei pelo nome e ele não respondeu, então fui até o quarto, ele tava deitado na cama e eu perguntei: qual é o teu problema comigo?. Ele bate nela porque ele não gosta de mim”, acredita o enteado.

A. e D. contam que houve muitos xingamentos, mas que não houve briga ou agressão. O enteado também alega que não tem nenhuma intenção em construir nada na chácara da mãe e que as brigas de Paulo são porque ele teria problemas com a bebida. “O que acontece é que ele sai, vai nos bares e bebe, e daí surta e resolve brigar com alguém, então a única pessoa que ele consegue brigar é com a minha mãe. O motivo dessa briga foi esse”, afirma.

A ex-mulher de Paulo também registrou um boletim de ocorrência por agressão. Os dois boletins estão na delegacia de Camboriú, com o delegado Ricardo Labes. Os envolvidos no caso serão interrogados pelo delegado nos próximos dias.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com