Home Notícias Polícia Corpo carbonizado pode ser de empresário gaúcho

Corpo carbonizado pode ser de empresário gaúcho

Audi A4 foi encontrado em chamas, na Interpraias, na madrugada de ontem

Corpo estava no porta-malas. Polícia suspeita que corpo seja de Márcio, que estava em Balneário visitando a namorada

O corpo carbonizado, encontrado no porta-malas de um Audi A4, na avenida Interpraias, em Balneário Camboriú, na madrugada de ontem, pode ser do empresário gaúcho Márcio Rodrigo dos Santos, 37 anos. Ele chegou a ser preso no ano passado, acusado de aplicar golpes milionários em centenas de pessoas.
A divisão de Investigação Criminal (DIC) confirma que há suspeita de que o corpo seja de Márcio, mas somente o exame de DNA poderá confirmar. Por enquanto, o corpo segue sem identificação no Instituto Médico Legal (IML) de Balneário.
Parentes estariam vindo pra Balneário Camboriú. O irmão de Márcio, Mateus Santos, alterou a foto do perfil do Facebook e colocou uma imagem de luto. “Vai com Deus, meu irmão”, escreveu o rapaz.
A polícia já ouviu a namorada de Márcio, que mora em Balneário Camboriú. A moça, de 24 anos, confirmou que esteve com o empresário na quarta-feira à noite até por volta as 22h. Após o encontro, ele foi embora no Audi A4.
Três horas após o encontro, o carro foi encontrado em chamas na avenidas Interpraias. O Audi A4 estava registrado no nome da antiga dona, que mora em Araranguá, extremo sul de Santa Catarina.

Chamas
Vizinhos sentiram um forte cheiro de queimado e acionaram a guarda municipal e o corpo de bombeiros, por volta de uma hora da manhã de quinta-feira.
Os guardas encontraram o Audi ainda queimando. No porta-malas do carro estava um homem carbonizado.

Investigação
A polícia Civil, o Instituto Geral de Perícias (IGP) e o IML estiveram no local. Por conta do difícil acesso, um guincho foi usado.
A DIC acredita que o homem foi morto e depois jogado dentro do porta-malas, mas ainda aguarda o laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP) para confirmar a causa da morte.
A DIC também procura câmeras de segurança que possam ter filmado a saída de Márcio da casa da namorada e a chegada do Audi A4 na picada da avenida Interpraias, onde o carro foi incendiado.

Liderou esquema de “pirâmide” nos pampas

Márcio e outras 23 pessoas foram denunciadas à justiça por envolvimento em um esquema de pirâmide financeira conhecido como D9 Trader. Em agosto do ano passado, ele chegou a ser preso em Sapiranga, no Rio Grande do Sul, onde morava. Ele respondia à justiça por organização criminosa, crime contra economia popular, lavagem de dinheiro e estelionato.
Márcio era apontado como o articulador do esquema da D9. Ele recrutaria pessoas na região do Vale dos Sinos para investir na pirâmide financeira.
A D9 iniciou suas atividades na Bahia. Pra disfarçar a fraude, o grupo simulava uma operação de marketing multinível vinculando o negócio com a suposta venda de cursos de trading esportivo.
As vítimas eram convidadas a aplicar dinheiro com a promessa de receberem até 300% do valor investido. Pra dar credibilidade, a galera que investia dinheiro no negócio recebia login e senha pra acessar um site onde poderiam ver os supostos rendimentos. Só que o esquema era uma baita fraude e somente os integrantes do bando de estelionatários lucravam com ele.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com