Home Notícias Polícia Circo estava furtando energia elétrica da Celesc

Circo estava furtando energia elétrica da Celesc

Estatal vai calcular valor do consumo de energia e cobrar dos donos do circo

Celesc acredita que furto acontecia desde a instalação da lona na city

A maré está braba para o pessoal do Circo da Rússia, montado da avenida das Flores, em Balneário Camboriú. No sábado, parte de uma arquibancada caiu e deixou algumas pessoas feridas. Ontem à tarde, a Celesc descobriu que o circo estava furtando energia elétrica da rede pública, na rua Bahia, bairro dos Estados.
Um funcionário da Celesc chamou a polícia Militar ao encontrar o gato de luz. O dono do circo, Guilherme Horacio Candal Palacios, não foi localizado pela PM. O caso foi encaminhado à polícia Civil e, por enquanto, ninguém foi preso.
O gerente Regional da Celesc, Pedro Paulo Molleri, diz que a Celesc está calculando quanto o circo furtou de energia desde a instalação na cidade, que aconteceu semana passada. “A partir do momento que ele se instalou, ele fez o furto também”, explicou.
A cobrança do valor deve ser feita ao dono do circo. Se ele não pagar, pode ser acionado na Justiça. Pedro lembra que o circo já tem uma dívida com a Celesc. “Ele tem uma dívida e isso, certamente, já foi em um local que ele se instalou e não pagou”, conta Pedro.

Arquibancada caiu
No sábado, por volta das 22h, parte da arquibancada despencou. O circo abriu irregularmente, e o acidente aconteceu na última sessão da noite de estreia, às 21h.
Os bombeiros contaram que quatro vítimas, todas adultas, foram socorridas e tiveram apenas lanhados pelo corpo.
Já uma pessoa que assistia ao espetáculo diz que houve mais vítimas. “Eu e meus amigos estávamos nesta arquibancada e caímos. Nós estávamos em 11 pessoas, quatro crianças e sete adultos”, contou a moradora.
Todos tiveram ferimentos leves e ninguém precisou ser atendido pelos bombeiros ou levado ao hospital.
A arquibancada cedeu porque a base de sustentação da estrutura afundou. O tablado se desencaixou e fez com que as pessoas caíssem.
O local foi fechado pela Defesa Civil, logo após o acidente. O local também foi interditado pela secretaria da Fazenda por falta de alvará pra funcionamento e falta de alvará dos bombeiros. Até ontem, o circo não tinha autorização da prefeitura para abrir ao público.
Em nota nas redes sociais, o circo classificou o caso como um “incidente”. O texto diz que não houve nada de grave e que o circo adota todas as medidas de segurança, tendo alvarás e laudos de engenheiros. fm n

fran
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta