Home Notícias Geral Volnei avisa que não vai tirar chefões da Famai do cargo

Volnei avisa que não vai tirar chefões da Famai do cargo

Mesmo que a justiça tenha atacado denúncia por corrupção contra Victor Silvestre e Patrick Soares, eles vão continuar à frente do órgão ambiental

Mesmo com a decisão da justiça de acatar a denúncia-crime por corrupção, feita pelo ministério Público Estadual, Victor Silvestre e Patrick Soares, superintendente e diretor da fundação do Meio Ambiente de Itajaí (Famai), vão continuar à frente do órgão.
Através da assessoria de imprensa, o prefeito Volnei Morastoni (PMDB) informou que manterá os dois na função. “Tendo em vista que o juiz não determinou o afastamento dos servidores, o Município de Itajaí seguirá a mesma orientação até novo pronunciamento da justiça”, disse, através de nota ao DIARINHO.
Enquanto isso, a prefeitura mantém a sindicância para apurar as denúncias do ministério Público. Servidores efetivos da Famai e da prefeitura fazem parte da comissão de investigação interna.
A data de término das investigações não foi definida. “Não há um prazo legal para conclusão dos trabalhos, que serão finalizados quando esgotados todos os trâmites necessários”, informou a nota.
Victor e Patrick são acusados de receberem propina de R$ 1,5 milhão, em carros e imóveis, para reabrir o processo de pedindo de licença ambiental de construção de quatro torres da Porsche Design numa área de proteção ambiental na morraria da Praia Brava. A propina teria vindo da construtora Carelli Propriedades, parceira da Porsche no empreendimento.
No ano passado, a Famai tinha negado a licença porque o terreno onde a Porsche e a Carelli querem construir as megas torres fica encostado no parque Municipal da Ressacada.
A justiça também transformou em réus no mesmo processo o empresário Dalmo Carelli Júnior e seu filho, Cauey Carelli, donos da Carelli Propriedades.

Intenção da Carelli é construir mega torres da Porsche na morreria da Praia Brava

Denúncia do MP aponta que Victor Silvestre, superintendente da Famai, e um diretor do órgão teriam recebido R$ 1,5 milhão em propina

Sandro Silva
Tem 31 anos de jornalismo, formado em pedagogia pela Udesc e com MBA em Gestão Editorial. geral@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com