Home Notícias Geral Usava agrotóxico perigoso pra vender como inseticida

Usava agrotóxico perigoso pra vender como inseticida

Empresário colocava o veneno em pequenos frascos

Agentes da Cidasc, da vigilância Sanitária Estadual, da polícia Militar Ambiental e da polícia Rodoviária Federal fecharam em Balneário Camboriú um laboratório clandestino que embalava e vendia um potente e perigoso agrotóxico como se fosse um inseticida doméstico.
O empresário F.G.M., 49 anos, foi preso em flagrante quando vendia mais um lote do produto para uma grande rede de supermercados, em Floripa.
A ação aconteceu na quarta-feira. De acordo com o engenheiro agrônomo Matheus Mazon Fraga, gestor da divisão de Fiscalização de Insumos Agrícolas da Cidasc, há pelo menos um ano o crime era investigado.
O engenheiro explica que o agrotóxico conhecido como metomil tem a classificação vermelha, ou seja, é considerado o mais perigoso para seres humanos. “Ele só pode ser usado na agricultura. Pode provocar a morte, dependendo do nível de intoxicação”, afirma.
E era justamente esse potente veneno que o empresário comprava em grandes quantidades, fracionava em pequenos frascos de 500 ml e vendia sob a marca fajuta de “Marco Mata – Mata insetos”. O produto, prometia, era pra matar pragas domésticas, como formigas, moscas e baratas.
O que o dono do laboratório clandestino não informava é que ele também poderia acabar com a vida humana. De acordo com o engenheiro agrônomo Matheus Mazon, o metomil age diretamente no sistema nervoso central. “Quem utiliza esse produto tá colocando em risco a vida de animais domésticos e a própria saúde de quem utiliza”, alerta.
O rótulo do produto usava falsas informações sobre sua procedência. No entanto, não tinha qualquer registro nos órgãos ambientais ou de vigilância sanitária. Até mesmo o local da fábrica, em Camboriú, indicado no rótulo, era falso.
O endereço verdadeiro é um galpão meia boca que funcionava na altura do número 391 da avenida do Estado Dalmo Vieira, nos fundos da loja Ubiratan Pneus. No local foram apreendidos galões com o veneno suficientes para produzir cerca de 5 mil fracos de 500 ml do falso inseticida.
F. tem registrado em seu nome a empresa M M Saneantes e Domissanitarios Ltda – ME. O registro é de 2015.

Sandro Silva
Tem 31 anos de jornalismo, formado em pedagogia pela Udesc e com MBA em Gestão Editorial. geral@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com