Home Notícias Geral Tá rolando fake news sobre a pesquisa eleitoral do DIARINHO em Itajaí

Tá rolando fake news sobre a pesquisa eleitoral do DIARINHO em Itajaí

O DIARINHO divulgou nesta quarta-feira a pesquisa eleitoral com a intenção de votos para a prefeitura de Itajaí. Pela amostragem colhida pela Exitus Comunicação & Pesquisa, o prefeito e candidato a reeleição Volnei Morastoni (MDB) lidera a pesquisa com 44,42% das intenções de votos. Em segundo lugar está o vereador da oposição e candidato a prefeito, Robison Coelho (PSDB), com 26,14%. Osvaldo Mafra (Solidariedade), Patrick Dauer (Avante) e João Vecchi (PT), juntos, não somam 5% da preferência do eleitorado.
A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 26 de outubro, sob o número SC-05736/2020, e tinha como meta ouvir no mínimo 495 entrevistados. Ao final da pesquisa, foram entrevistadas 547 pessoas. O percentual de confiança é de 95%, com margem de erro de 4,27 pontos percentuais para mais ou para menos.
Com a divulgação da pesquisa, começou a circular uma fake news alegando que: “O instituto responsável pela pesquisa publicada no DIARINHO foi obrigado a entrevistar ”52 pessoas de última hora” para que o resultado da pesquisa fosse favorável ao Volnei Morastoni. Isso você pode conferir com seus próprios olhos. No registro da pesquisa feito no Tribunal Superior Eleitoral, foram informados 495 entrevistados, e na publicação do DIARINHO, 547 entrevistados”.
Segundo Sérgio Januário, diretor da área de sociologia Política da Exitus, o Plano de Amostragem, que cobre a quantidade de entrevistas necessárias com base em Erro Amostral [e] e Intervalo de Confiança [Z], atribui sempre a quantidade mínima de entrevistas a serem realizadas, como consta no registro da pesquisa.
“Assim, quando do registro da pesquisa no TSE [SC-05736/2020] sobre comportamento eleitoral realizada no município de Itajaí, a quantidade mínima exigida era de 495 pessoas, para [e] de ±4,5pp e Intervalo de Confiança de 95% considerando População de Pesquisa [N] de 147.784 eleitores cadastrados no TRE/SC [em 01/10/20]”, explicou.
Pra dar garantia e segurança as atividades, a Existus sempre realiza sobreamostragem em cada área de entrevista. “Isso porque no processo de controle interno [feito após a coleta de dados] algumas entrevistas podem ser anuladas por inconsistência [e nunca por preferência ou escolha]. Seria imprudente e geraria “viés de campo” se tivéssemos que retornar a campo para realizar entrevistas para cobrir amostra insuficiente. Isso porque o retorno a campo seria feito em condições diferentes da coleta original e o próprio processo de coleta original é fonte de interpretação ao comportamento dos informantes”, explica.
O diretor da Exitus afirma que essa metodologia é pacífica e sempre foi utilizada nos seus trabalhos. “Registre-se que todas as nossas pesquisas, tanto quando dirigi o IPS Univali quanto na direção da Exitus Comunicação & Pesquisa, apresentaram acerto de 100% considerando a variação de erro amostral admitida no Plano de Amostragem”, afirma.
Sérgio ainda aponta que, uma quantidade maior de entrevistas, além da amostra do Plano de Amostragem, é fator de segurança aos resultados, e não de risco. “Um instituto de pesquisa, como a vida, requer confiabilidade. É o nosso maior patrimônio. Nossa responsabilidade em planejar, executar pesquisa e apresentar resultados é extrema”, conclui Januário.

Fran Marcon
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com