Home Notícias Geral Região tem 43% dos casos de dengue autóctone

Região tem 43% dos casos de dengue autóctone

Doze pessoas de cinco municípios pegaram dengue na cidade onde moram

Cinco cidades da região da foz do rio Itajaí-açu contribuíram para uma estatística nada agradável: o aumento do número de casos de contaminação autóctone de dengue este ano. Autóctone é o nome usado para se referir a quem pegou a doença na cidade onde mora.
As cidades são Itajaí, Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema e Porto Belo. Os dados são do último boletim da diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), que é ligada à secretaria de Saúde.
Os 28 casos de dengue cuja contaminação se deu dentro das fronteiras de Santa Catarina representam um aumento de 50% em relação ao último boletim, publicado em 9 de março. Há ainda outros 17 casos da doença em Santa Catarina, mas são importados.

BC e Itapema
Balneário Camboriú e Itapema foram as cidades da região que mais contribuíram para esse aumento de casos autóctones. Foram três em cada uma delas.
Em Balneário Camboriú, os três casos nesses três primeiros meses representam metade do que foi registrado no ano passado.
Segundo Rafael Neis, coordenador da equipe de combate ao mosquito Aedes Aegypit, há ainda dois outros registros. Um de morador que se contaminou no sudeste do país e outro de um turista que já chegou com o vírus mas desenvolveu a doença por aqui.
Do total dos 22 casos do ano passado, 16 foram de pacientes que se contaminaram fora de Balneário Camboriú, ressalta Rafael.
Já em Itapema, este ano, os três casos de pessoas contaminadas foram dentro da própria cidade. No ano passado, informa a assessoria de comunicação da prefeitura, 26 pessoas ficaram doentes de dengue na cidade.

Outras cidades
Itajaí e Porto Belo foram responsáveis por dois casos cada uma. Itajaí chama a atenção porque no ano passado teve apenas um caso de dengue e era de fora do estado. Este ano, além dos dois autóctones, tem outros quatro importados.
Porto Belo não teve nenhum caso ano passado. Os dois autóctones deste ano são os únicos até agora.
No caso de Camboriú, a Dive relaciona os casos à cidade. Mas Josiane Farias, diretora da secretaria de Saúde, coloca a informação sob suspeita. “As duas pessoas trabalham em Balneário e não sabemos seé autóctone ou não”, afirma. No ano passado, também houve dois casos na cidade e a situação é a mesma: difícil dizer se elas se contaminaram em Camboriú, Balneário Camboriú ou outra cidade.

Balneário Camboriú e Itajaí terão ações contra a dengue neste sábado

Em Balneário Camboriú, agentes do programa de Combate à Dengue, agentes do programa Estratégia da Família e funcionários da empresa Ambiental vão percorrer as ruas do bairro São Judas e também um pedacinho do bairro da Barra neste sábado, numa grande ação de combate ao mosquito Aedes Aegypiti, o transmissor da dengue, zika vírus e chicungunha.
A região onde ocorreram os três casos de contaminação da dengue terá uma ação do município. “Vamos fazer orientações, entregas de panfletos e realizar limpezas”, informa Rafael Neis, coordenador do programa de Combate à Dengue de Balneário. Se chover, a ação não acontece.
Em Itajaí, o combate ao mosquito da dengue vai fazer parte da 8ª edição da ação Juntos pelo Rio e Contra o Aedes Aegypti. Cerca de 1000 voluntários vão promover uma limpeza tanto no leito quanto nas margens do Itajaí-açu.
Quem quiser ajudar, ponte pintar às 7h30 da manhã no centreventos da Marejada, onde rola a concentração e um cafezão da manhã para os participantes.
É recomendado o uso do protetor solar, u calça preta, sapatos fechados e evitar o uso de acessórios.

Sandro Silva
Tem 31 anos de jornalismo, formado em pedagogia pela Udesc e com MBA em Gestão Editorial. geral@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com