Home Notícias Geral Programa de milhas do cartão de crédito: vale a pena aderir?

Programa de milhas do cartão de crédito: vale a pena aderir?

Acumular milhas aéreas fazendo compras no cartão de crédito é a principal estratégia dos consumidores brasileiros para obter descontos em programas de fidelidade para viagens. Dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf) mostram que mais de 90% dos pontos acumulados são provenientes de compras no cartão de crédito. Se em 2018 foram emitidos 286,6 bilhões de pontos e milhas em programas de fidelização, pelo menos 257 bilhões vieram do pagamento em dia de boletos de cartões de crédito. A Abemf informa também que do total de pontos acumulados, 74,8% são resgatados em passagens aéreas, o que significa que grande parcela dos consumidores está convertendo pontos acumulados no cartão em milhas aéreas.

Acumular pontos nos cartões de crédito é uma tarefa aparentemente simples. Basta estar cadastrado no programa de fidelidade do cartão e pagar a conta em dia que os pontos já começam a ser acumulados. Mas como há diversos bancos, bandeiras, programas de fidelidade e perfis de cartões de crédito, algumas dúvidas podem aparecer. Fazer uma boa pesquisa sobre como funciona cada banco, cada programa e cada cartão é essencial para garantir que o pagamento vai gerar uma boa quantidade de pontos em programas de milhagem.

Acumulando pontos no cartão

Os cartões mais tradicionais, com o mínimo de benefícios e menor limite de crédito, realizam a conversão de compras pagas em pontos na proporção de um ponto para cada dólar pago na fatura. Porém, conforme o perfil de consumidor, renda e tipo de cartão – gold, platinum, black, co-branded – a proporção pode chegar a 2,5 pontos para cada dólar pago. Ainda é possível contratar aceleradores, que tornam o valor da anuidade mais caro, mas dobram as recompensas.

A principal dica para acumular pontos no cartão é usá-lo com responsabilidade e pagar as faturas em dia. Pequenas compras do dia a dia, quanto feitas no cartão de crédito, acumulam pontos pouco a pouco. Em vez de comprar pão, presunto e queijo para o lanche no dinheiro, no cartão, essa compra se transforma em pontos. Porém, é preciso ter um planejamento doméstico bem definido, para que a fatura não chegue tão alta a ponto de não conseguir ser paga. 

Todos os cartões de créditos e programas de fidelidade contam com parceiros que fazem parte de uma rede de benefícios. É importante que o consumidor verifique quais são os parceiros do cartão de crédito que possui, de modo a otimizar o acúmulo de pontos. Por exemplo: abastecer o carro, pagando no cartão, em algum posto que utilize o mesmo programa de fidelidade que seu cartão de crédito permite acúmulo duplo de pontos.

Cartões co-branded, que já possuem a bandeira do programa de fidelidade impressa, podem ter taxas de conversão mais vantajosas, porém o consumidor fica com acúmulo restrito a determinado programa. A dica é pesquisar com atenção se o programa oferece tudo aquilo que o cliente precisa – voos, hospedagens, serviços de viagem e diversidade de parceiros para trocas e descontos – e se vale a pena dedicar toda a pontuação obtida no cartão a um só programa de milhagem.

O link https://www.maxmilhas.com.br/milhas/pontos-cartao-credito traz mais detalhes sobre o acúmulo de pontos nos cartões.  

Convertendo pontos em milhas aéreas

Os pontos obtidos em programas de fidelidade de cartões de crédito podem ser convertidos em milhas aéreas, quando transferidos para programas de milhagem, específicos para descontos em voos nas companhias aéreas e serviços de viagem. Outra vantagem é a possibilidade de monetizá-los e fazer uma renda extra no site da MaxMilhas. Como valem dinheiro, transferir milhas requer pesquisa, uma vez que alguns programas oferecem vantagens na transferência.

Geralmente, a proporção entre pontos acumulados nos cartões de crédito e milhas aéreas é de um para um: cada ponto no cartão vale uma milha no programa de milhagem. Porém, alguns programas concedem bônus de transferência que podem chegar a 30%. Ao transferir 10 mil pontos, por exemplo, o saldo de milhas passa para 13 mil. A principal dica é acompanhar as ofertas em todos os programas de milhagem, cadastrando-se para receber newsletters e avisos de promoção em cada um dos programas disponíveis.

Vale a pena fazer uma boa pesquisa sobre resgate, prazos, validade e transferência nos programas de milhagem. Alguns cartões podem ter pontuação sem prazo de validade mas, quando transferidos para programas de milhagem, podem passar a ter vencimento em até dois anos. Portanto, é importante fazer a transferência quando uma boa promoção estiver em vigor e com a pretensão de se usar a milhagem antes que as milhas expirem.

Elaine Mafra
Jornalista formada pela Univali em 2006. elaine@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com