Home Notícias Geral Pessoas saem às ruas pra pedalar, caminhar e pescar

Pessoas saem às ruas pra pedalar, caminhar e pescar

A cada dia aumenta o movimento nas ruas de Balneário Camboriú e Itajaí, mostram fotos e vídeos feitos pelas cidades

A percepção de que há mais gente circulando, mesmo com o isolamento decretado pelo governo estadual, é confirmada ao se observar o movimento das ruas e locais públicos em Itajaí e Balneário Camboriú. Entre as pessoas está quem, mesmo com medo de contágio, resolveu dar uma saída rápida, quem precisou ir a bancos ou mercados, ou mesmo quem defende a suspensão do isolamento social pra que economia seja reativada.
Em Itajaí, ciclistas são vistos praticando o esporte na avenida Beira Rio. Nos bairros, um dos pontos que os moradores continuam frequentando é o parque Náutico Odílio Garcia, em Cordeiros. A guarda Municipal tem feito operações no parque, mas o pessoal acaba voltando.
A autônoma Cláudia Duarte, 36 anos, esteve no parque ontem com a filha e o marido. Usando máscara, ela contou que saiu pra sacar dinheiro no banco e aproveitou pra passar no local, mas garantiu que a passagem seria rápida. “Eu vim pra cá mas estou com medo”, relatou, preocupada com o risco de contaminação.
Também autônomo, Deividson Júnior, de 38 anos, tem frequentado o parque Náutico pra pescar enquanto não tem condições de voltar ao trabalho na construção civil. Ele avalia que ficar o tempo todo em casa pode até prejudicar a saúde mental da pessoa e defende que alguns serviços já poderiam ser retomados.
“A preservação da vida é importante, mas o homem também precisa sobreviver”, comenta, destacando que as pessoas estão tendo só gastos em casa. O morador relata que os guardas estiveram no parque na quarta-feira mandando os pescadores embora. “O pessoal que está aqui, está porque gosta de pescar ou por necessidade”, explica.
Outro morador, que trabalha na indústria de pesca, disse estar tranquilo pra circular na cidade, apesar nas recomendações em contrário. Ontem ele estava de bicicleta no parque e avaliou que as restrições colocam medo nas pessoas. “Existe mais barulho do que perigo”, afirmou. Ele preferiu não identificar.

Circulação em Balneário
Nas avenidas Brasil e Atlântica, muitos pedestres, ciclistas e veículos estão circulando, apesar das lojas, bares e restaurantes estarem fechados. O turista Fernando Golinhaki, 29, de Guarapuava (PR), está de férias na cidade e teve que retardar a volta por causa do fechamento da rodoviária.
Fernando diz que está respeitando o isolamento, mas depois de dias em casa, ontem resolveu ao menos ver o mar. “Estou duas semanas aqui e só fui dois dias na praia. Depois que fecharam, não fui mais, mas hoje dei uma saída pra caminhar”, contou. Ele acredita que os comércios já poderiam abrir. “Isso já está afetando a economia”, alega.
O restabelecimento das atividades econômicas também é defendido pelo morador Marcos Silva, 47, que ontem saiu pra ir na casa de um amigo. Marcos defende que só deveriam ser isolados os idosos e doentes crônicos, que fazem parte do grupo de risco, sendo liberadas ao trabalho as demais pessoas.
“A economia não pode ficar mais parada. O povo vai sofrer a consequências”, alerta. Marcos observa que as medidas de precaução contra a doença devem ser mantidas pelas empresas e trabalhadores, mas sem a suspensão de atividades.

Autoridades reforçam orientações pra ficar em casa
Em Itajaí, a prefeitura informou que segue com a orientação para que as pessoas fiquem em casa, saindo somente em momentos de extrema necessidade. O município destaca que a medida não é uma proibição, sendo resguardado o direito de ir e vir.
Pelas ruas, um carro de som continua circulando pedindo a conscientização das pessoas pra não sair de casa. Segundo a prefeitura, a guarda Municipal está fazendo a fiscalização pra evitar aglomerações em praças, parques, praias e outros locais públicos. Já a PM fiscaliza o cumprimento das restrições ao comércio.
Em Balneário, as equipes da fiscalização do município e a polícia Militar reforçaram as ações conjuntas pra coibir a circulação e aglomeração de pessoas na praia, ciclovia e ao longo de toda avenida Atlântica.
Ontem, a operação começou pela barra Sul e percorreu a Atlântica com um carro de som. Conforme o município, as equipes fazem o trabalho de conscientização, pedindo aos moradores que permanecem em suas residências.
Em entrevista ontem, o governador Carlos Moisés destacou que o Estado tem autonomia pra manter o isolamento. Ele disse que não há contradição na medida estadual com o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro, que defende o fim do “confinamento social”.
“Os catarinenses devem ouvir a autoridade sanitária de Santa Catarina”, frisou, destacando que está fazendo o que é para o bem das pessoas e que os locais que não fizeram o isolamento pelo mundo pagaram com vidas.
Ontem, Moisés liberou a volta dos serviços essenciais a partir de quarta-feira, dia 1 de abril, reforçando que festas, cultos, missas e aglomerações de pessoas seguirão proibidos. Mas isso foi o bastante para que mais pessoas fossem pras ruas imediatamente. Uma carreata barulhenta percorreu a avenida Atlântica, com buzinanço em comemoração as medidas de afrouxamento do decreto.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com