Home Notícias Geral Ostras e mexilhões proibidos, também, em Palhoça

Ostras e mexilhões proibidos, também, em Palhoça

Toxina diarreica se consumida pode causar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia. (Foto: Divulgação)

O cultivo de mexilhões e ostras na Ponta do Papagaio, em Palhoça, está proíbo depois que técnicos da secretaria da Agricultura, encontraram Toxina Diarreica, nesta sexta-feira.

Está proibida a retirada, comercialização e consumo de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia, na localidade da Ponta do Papagaio, em Palhoça. Esta é a quarta área de cultivo interditada no estado – Barra e Laranjeiras, em Balneário Camboriú, e Armação do Itapocorói, em Penha, também seguem com restrições.

A medida foi necessária após exames laboratoriais detectarem a presença de ácido ocadaico nos cultivos de moluscos bivalves dessas regiões. Quando consumida por seres humanos, essa substância pode ocasionar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia.

20º Fenaostra não será afetada

A proibição do consumo dos cultivos da Ponta do Papagaio não deve interferir no andamento da 20ª Fenaostra, já que não estão sendo comercializadas ostras dessa região. Todos os restaurantes são de Florianópolis e nessa área não há nenhum problema detectado.

Devido à Fenaostra, a Cidasc intensificou as amostragens de moluscos na região da Grande Florianópolis. “A Cidasc tem intensificado as amostragens na região da Grande Florianópolis para que possamos ter uma resposta rápida caso haja alguma interdição. Por enquanto não há indicativo de outros cultivos interditados e a população pode aproveitar a Fenaostra com tranquilidade”, destaca gerente de Aquicultura e Pesca da Secretaria da Agricultura, Sergio Winckler.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com