Home Notícias Geral Moradores relatam falta de atendimento

Moradores relatam falta de atendimento

Queixas são de postos de Itajaí, do PA da Barra e da UPA das Nações, em Balneário, e de falta de vacinação em Camboriú

Com as cidades focadas no combate ao coronavírus, há queixas de moradores em relação ao atendimento pra outras doenças em postos e unidades de pronto-atendimento em Itajaí e Balneário Camboriú.
Em Itajaí, houve reclamação no postinho São Cristóvão, no bairro Cordeiros. Estaria ocorrendo a falta de medicamentos básicos, como paracetamol, usado contra dor, e losartana, usando no controle de pressão.
Outro problema seria em função de muitas pessoas ainda procurarem os postinhos – e não o centro de triagem – pra verificar sintomas de coronavírus, prejudicando o atendimento pra outras doenças.
A secretaria de Saúde esclareceu que a demora não procede porque houve diminuição dos atendimentos nos postos devido à pandemia. “As unidades estão atendendo demanda livre, pois as agendas programadas estão suspensas”, diz.
A secretaria ainda destacou que os pacientes que buscam os postos com outras doenças devem ser atendidos e que outros atendimentos e a vacinação seguem normais.
Sobre casos suspeitos de Covid-19, os pacientes com sintomas leves devem ser atendidos nos postos de saúde, enquanto que os casos suspeitos com médio e alto risco são levados ao centro de Triagem, no CIS.
Sobre a falta dos dois remédios, a secretaria explicou que os fornecedores não conseguiram entregar o pedido alegando falta de matéria-prima devido à crise do coronavírus. “Eles foram notificados e deram previsão de entrega para meados de abril”, adiantou a secretária.
O órgão orientou que, em relação à losartana, o paciente pode retirar o medicamento nas farmácias do programa Farmácia Popular. A entrega é gratuita mediante apresentação da receita.

Segunda morte por febre amarela
Ontem de manhã foi confirmada a segunda morte por febre amarela em Santa Catarina. A morte aconteceu no dia 13 de março, em Indaial. O homem, de 57 anos, não tinha registro de vacina no sistema de informações do Programa Nacional de Imunizações.
A primeira morte do ano foi registrada em Camboriú no mês de março. Um homem de 42 anos, morador da cidade, também morreu vítima da doença e não tinha se vacinado.
A secretaria de Estado da Saúde reforça a importância de todos os moradores com mais de nove meses procurarem a vacinação que é gratuita e está disponível nos postos de saúde.
O estado soma 12 casos confirmados da doença em humanos nos municípios de: São Bento do Sul, Jaraguá do Sul, Blumenau (3), Pomerode (2), Camboriú, Indaial (3) e um morador de São Paulo, que esteve em Pomerode.
Com relação aos macacos, o estado contabiliza 39 macacos mortos por febre amarela nas cidades de Blumenau (21), Gaspar, Indaial (3), Pomerode (4), Timbó, Jaraguá do Sul, Campo Alegre (3), São Bento do Sul (3), Luís Alves e Doutor Pedrinho).

Queixas no PA da Barra e UPA das Nações
Em Balneário Camboriú, a esposa de um paciente relatou ao DIARINHO que teve que peregrinar entre posto de saúde, PA da Barra e hospital Ruth Cardoso desde sexta-feira passada até a prefeitura conseguir marcar ontem uma cirurgia de vesícula. A moradora disse entender que o foco no momento é a pandemia, mas considerou que outros pacientes também precisam do atendimento e exames.
Segundo contou, o marido chegou ao PA da Barra na sexta-feira com dores no estômago, vômito e falta de ar. Ele foi medicado com morfina e orientado a procurar um postinho na segunda-feira pra ser encaminhado ao especialista. Ele passou pela médica no posto, sendo medicado novamente e informado que não adiantaria pedir exame de endoscopia ou raio x porque demoraria meses pra sair.
Na madrugada de ontem, o paciente voltou a passar mal e procurou o Ruth Cardoso. Conforme a esposa, os sintomas eram parecidos com os de úlcera, gastrite ou até câncer. “Será que é assim que eles estão tratando os pacientes com Covid-19 também?”, questionou, criticando a falta de atendimento adequado. O caso acabou sendo resolvido pela secretaria de Saúde e o paciente vai passar por uma cirurgia.
Outra reclamação foi quanto ao atendimento na UPA do bairro Nações. A representante comercial Carla Oliveira, 40, relata que, na semana passada, levou a filha de três anos na unidade e que só foi atendida após mais de uma hora de espera, após a criança passar mal e vomitar. Ela havia sido classificada com a cor verde, de não-urgente.
“Chegamos por volta das três da manhã e tava vazio, porque ninguém tá indo, só em caso de urgência. Minha filha tava com falta de ar porque ela teve uma crise de asma”, contou. Carla também se queixou da máscara de nebulizador porque, em função do coronavírus, acha que deveria ser usado um equipamento descartável pra evitar contaminações. “Eu não teria saído de casa pra botar minha filha em risco”, disse.
De acordo com a secretária de Saúde, Andressa Hadad, os postos e unidades de pronto-atendimento estão atendendo normalmente durante o período de enfrentamento ao coronavírus, sem mudanças nas equipes ou forma de atendimento. “As outras doenças são tão importantes quanto os casos de coronavírus”, defendeu.
Andressa destacou que as queixas foram casos pontuais já repassados às empresas terceirizadas que tocam o PA da Barra e a UPA Nações. A gerente Aline Leal, do instituto Imas, responsável pela UPA, disse não proceder a queixa de demora e explicou que a mãe da criança foi embora com a filha, que tava com os sinais vitais normais, antes de terminar a nebulização. Aline ainda explicou que os nebulizadores passam por esterilização.
Segundo a secretária de Saúde, diminuiu a procura nos postos porque as pessoas estão saindo pouco de casa e usando mais os canais por telefone pra buscar orientações. Andressa ressaltou que as vacinas seguem normalmente, incluindo a de febre amarela. A orientação é que as crianças e adultos com sinais gripais esperem o quadro passar antes de ir aos postos, pra não se expor e nem expor outras pessoas, bem como evitar aglomeração.

Vacinas retomadas em Camboriú
As vacinas do calendário de rotina para adultos e crianças vão ser retomadas a partir de hoje no posto do bairro Taboleiro, e a partir de amanhã na policlínica, em Camboriú, segundo informou a secretaria de Saúde. As vacinas tinham sido suspensas devido à emergência do coronavírus.
Conforme a vigilância em Saúde estarão disponíveis vacinas como antitetânica, tetraviral, sarampo, BCG, hepatite B, entre outras, bem como a vacina contra a febre amarela. “Optamos por essa nova logística para que assim as pessoas possam continuar se protegendo, mas com a consciência de que se deve evitar aglomeração de pessoas no mesmo espaço”, salienta a secretária de Saúde, Elisama de Freitas.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com