Home Notícias Geral Marieta está superlotado e monta ala de pós-operatório no auditório

Marieta está superlotado e monta ala de pós-operatório no auditório

O hospital Marieta Konder Bornhausen está acomodando pacientes do SUS, no pós-operatório, em uma estrutura improvisada no auditório da unidade no 12º andar.
A denúncia foi feita por pacientes que tiveram que se submeter a procedimentos cirúrgicos no hospital e, logo após passar pela cirurgia, foram levados pra esse local. O auditório também está superlotado, contam os familiares.
A denunciante explica que a tia está internada no hospital Marieta devido a uma cirurgia de emergência. Ela fez a cirurgia na madrugada de sábado. Após o procedimento, ela ficou dois dias internada no centro cirúrgico, pois não havia leitos disponíveis.
Na segunda-feira ela foi transferida para o auditório improvisado. Um vídeo feito no local mostra a lotação e a improvisação do espaço. A única separação entre os pacientes é por biombos e não há privacidade para os pacientes.
O hospital Marieta confirmou a superlotação. A direção, em nota, alega que há sobrecarga na estrutura física. Segundo a nota, pra manter o atendimento, conforme é a missão da instituição, o auditório foi adaptado para atender pacientes de curta permanência. “Apesar de provisórios, são leitos confortáveis e que contribuem no andamento das demandas do hospital”, informaram.

Direção acaba com o estacionamento de funcionários
Cerca de 100 funcionários que usavam o estacionamento interno do hospital Marieta para parar motos e bicicletas estão desassistidos desde quarta-feira.
A direção do hospital iniciou uma obra de paisagismo, com jardim e deques, no local onde os funcionários paravam os veículos. “Não vai ter mais estacionamento pra moto e bicicleta aqui dentro do hospital. Imagina nós, que trabalhamos à noite, vamos deixar as motos ou as bicicletas na rua?! Não tem como!”, reclamam os funcionários.
O hospital teria feito um convênio com o estacionamento que funciona na antiga garagem da Coletivo Itajaí, na avenida Sete de Setembro. O estacionamento vai cobrar uma mensalidade de R$ 50 pra parar motos e carros. “Isso é um descaso com os funcionários”, reclama uma funcionária. Ela ainda alega que a sala usada pra descanso dos funcionários é apertada, abafada, mal cheirosa e sem ventilação.
Sobre o estacionamento, a direção do Marieta diz que a obra é transitória para ampliação do refeitório, um benefício que atenderá 100% dos colaboradores e alguns acompanhantes de pacientes. As obras seriam necessárias para acomodação e ajuste dos espaços do hospital. O hospital não confirmou se após a obra, haverá um espaço pro estacionamento das motos e bikes novamente.

Fran Marcon
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com