Home Notícias Geral Mãe denuncia descaso do Ruth Cardoso para atender bebê com suspeita de covid

Mãe denuncia descaso do Ruth Cardoso para atender bebê com suspeita de covid

Uma moradora de Balneário, que prefere não ter o nome divulgado, procurou DIARINHO para relatar o que chama de descaso quando procurou atendimento para o seu bebê no Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú. Foi no último sábado, quando levou o filho ao hospital para consultar com o pediatra.

De acordo com ela, a família toda testou positiva para o coronavírus. Ela, o marido e o filho, de sete anos, passaram por um médico no Centro Covid. Já o bebê, de nove meses, que também estava com sintomas de gripe e febre foi encaminhado a passar com um pediatra no Hospital Ruth Cardoso.

“Fui para triagem com o bebê e fui muito mal recebida por estar com covid e colocando a vida de todo mundo em risco. Mas, como vou ficar em casa com um bebê doente sem ser avaliado pelo pediatra?”, lamenta.

A informação recebida no hospital, de acordo com a mulher, foi de que não havia onde ela esperar e que o atendimento demoraria muito. A orientação foi aguardar do lado de fora do local, no calorão. Além do descaso, a paciente conta que foi questionada do porque não mandou outra pessoa que não estivesse doente levar a criança.

“Exatamente porque não tenho ninguém pra levar o bebê, pois a minha família toda está com o vírus”, completa.

Após aguardar do lado de fora um tempão, falaram que e a criança só seria atendida quando uma sala ficasse desocupada e, que no momento, todas estavam sendo usadas. A moradora voltou para casa com o filho sem atendimento. “Eu sei que o meu lugar é em casa, mas o meu filho não está bem”, desabafa.
A mãe relata que se sentiu mal porque as pessoas estavam com mais medo de pegar o vírus, mesmo com as medidas de proteção, do que propensas a ajudar o filho dela.

De acordo com a secretária de Saúde, Leila Crocomo, as crianças com suspeita de covid devem ser encaminhadas a Unidade de Pronto Atendimento das Nações, onde há pediatra 24h e uma área reservada para isso. “Na situação em questão, o recomendado era que algum outro familiar levasse a criança até a UPA e a mãe e os demais familiares permanecessem em isolamento/tratamento no Centro Covid. No Pronto Socorro, por ser um local pequeno e fechado, não é seguro aos demais pacientes que alguém que tenha diagnóstico de covid fique no lugar, por isso, foi pedido para que ela aguardasse na parte externa”, afirma.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com