Home Notícias Geral Laboratório de Itajaí testa medicamento para dores de câncer

Laboratório de Itajaí testa medicamento para dores de câncer

Remédio substitui a morfina e é aplicado a cada dois meses no centro de pesquisas em Itajaí

Laboratório de Itajaí testa medicamento para dores de câncer
Itajaí tem o único laboratório de Santa Catarina selecionado para testar uma nova droga que pode ajudar a pacientes que sofrem com dores provocadas pelo câncer.
O Centro de Novos Tratamentos Itajaí está selecionando pacientes que tenham interesse em ser fazer parte da experiência com o medicamento chamado Tanezumab, do laboratório norte-americano Pfizer.
De acordo com o médico oncologista Giuliano Borges, responsável pelo centro, se aprovada, a droga vai substituir com mais eficácia a morfina, hoje usada para aliviar o sofrimento de pacientes. Uma das principais vantagens, diz o especialista, é a frequência da aplicação do medicamento.“Hoje, o habitual é a aplicação da morfina a cada quatro horas. Esse novo medicamento seria aplicado apenas de dois em dois meses”, afirma.
Os técnicos do Centro de Novos Tratamentos de Itajaí estão agora na fase de buscar pessoas que queiram e possam se submeter ao medicamento. “O perfil é de um paciente com câncer com dores de intensidade média ou forte e que o tumor já esteja avançado e que atingiu os ossos”, explica o doutor Giuliano.
O Tanezumab já vem sendo desenvolvido nos Estados Unidos há dois anos. Agora, o laboratório Pfizer expande os testes em nível global. França, Espanha, Reino Unido, Chile, Japão, Austrália e Brasil, entre outros, estão recrutando cerca de 255 pacientes.
No Brasil, a seleção acontece em Santa Catarina, num centro de pesquisas do Rio Grande do Sul e em seis laboratórios de São Paulo. “E já temos o primeiro paciente do Brasil e é de Itajaí”, revela o coordenador do Centro de Novos Tratamentos Itajaí. É um homem de cerca de 60 anos.
Em 18 meses, os técnicos pretendem concluir sua parte na pesquisa. “A gente prevê mais um ano de recrutamento e possivelmente mais seis meses para finalizar todos esses bancos de dados”, diz o médico oncologista.
Quem se dispor a participar da experiência, recebe um ‘palm top’, espécie de computadorzinho para registrar seu dia-a-dia no que diz respeito à doença, ao remédio e as possível reações. Os contatos do centro de pesquisas são: (47) 3348 5093 opoliana@oncologiasc.com.br.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com