Home Notícias Geral Irmã de Romero Britto é condenada a pagar indenização milionária a vendedor do Balneário Camboriú

Irmã de Romero Britto é condenada a pagar indenização milionária a vendedor do Balneário Camboriú

O cara trampou como curador e vendedor de obras de arte durante o período de uma exposição do artista no Espaço Cultural FG Sul, em Balneário, entre novembro de 2014 e março de 2015.

A justiça do Trabalho de Balneário Camboriú condenou a irmã do artista plástico Romero Britto, Roberta Britto, a pagar uma indenização de R$ 350 mil a Darlan Paulo Basso Andrighetto Junior. O cara trampou como curador e vendedor de obras de arte durante o período de uma exposição do artista no Espaço Cultural FG Sul, em Balneário, entre novembro de 2014 e março de 2015.

Na ação trabalhista, o funcionário alegou que não teve o contrato de trabalho formalizado e que não recebeu a devida comissão sobre a venda de obras de artes. O acerto era de 10% sobre o valor das peças vendidas. Na justiça, o vendedor conseguir provar o vínculo trabalhista de cinco meses – entre novembro de 2014 e abril de 2015 – e juntou provas de que negociou a venda de obras sem receber a comissão combinada.

O montante da indenização inclui as verbas trabalhistas, considerando percentuais de férias, horas extras, 13º salário e rescisão, e o acerto das comissões. A decisão foi dada nesta semana, na quarta-feira, pelo Tribunal Regional do Trabalho, em Florianópolis, reafirmando a determinação que já tinha sido feita em primeira instância. O advogado de Roberta Britto, Rodrigo Fonseca, havia recorrido da decisão da justiça de Balneário, mas não conseguiu reverter o caso. Ainda cabe recurso ao Tribunal Superior do Trabalho (TST).

 

Elaine Mafra
Formada em jornalismo pela Univali em 2006. elaine@diarinho.com.br
Compartilhe: