Home Notícias Geral Está proibida a retirada e comercialização de moluscos em três municípios de SC

Está proibida a retirada e comercialização de moluscos em três municípios de SC

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – Cidasc informa que está suspensa a retirada, comercialização e consumo de moluscos (ostras, mexilhões, vieiras e berbigões) em Florianópolis, Porto Belo e Palhoça. Pois, em monitoramento ambiental, foi detectada a presença de ficotoxinas DSP,  conhecida como toxina diarreica, na amostra de mexilhões procedente das localidades de:  Ilha João da Cunha, Araçá e Perequê (município de Porto Belo); Freguesia do Ribeirão, Costeira do Ribeirão, Caieira da Barra do Sul e Taperinha do Ribeirão (município de Florianópolis); e Praia do Cedro e Praia do Pontal (município de Palhoça).

Novas amostras serão analisadas para verificar a presença desta toxina nestas áreas de monitoramento e nas outras áreas onde são cultivados moluscos. A situação deverá se normalizar assim que as próximas amostras apresentarem resultados negativos.

DSP

A toxina diarréica é produzida por algumas espécies de microalgas que vivem na água, chamadas de Dynophysis, e quando acumuladas por organismos filtradores, como ostras e mexilhões, podem causar um quadro de intoxicação nos consumidores. A presença de Dynophysis é conhecida em Santa Catarina e por isso os níveis da toxina são regularmente monitorados pela Cidasc no litoral. Os últimos episódios de excesso de DSP no estado aconteceram em 2017. 

Os sintomas causados pela DSP são diarreia, náuseas, vômitos e dores abdominais e se manifestam em poucas horas após a ingestão de moluscos contaminados. A recuperação do paciente se dá entre dois e três dias, independente de tratamento médico.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com