Home Notícias Geral Entenda as mudanças anunciadas pelo governador de SC

Entenda as mudanças anunciadas pelo governador de SC

O governo de Santa Catarina anunciou na noite desta quinta-feira um plano de estratégico pra retomada das atividades econômicas no Estado a partir da segunda-feira que vem, dia 30 de março. Segundo o governador Carlos Moisés, o planejamento vai permitir o retorno gradual de serviços que foram restringidos pelo decreto de emergência, mas mantendo as necessidades de prevenção contra o coronavírus, conciliando o convívio social e o trabalho.

O plano mantém suspensa a realização de eventos, que estão proibidos por 30 dias, entre shows, festas, encontros religiosos e reuniões. Apesar de o governo federal ter incluído as celebrações religiosas como atividades essenciais, em Santa Catarina missas e cultos seguem suspensos pela decisão do governador. As aulas também continuam suspensas, bem como atividades de lazer em praias, praças e parques.

As regras de isolamento domiciliar, que foram prorrogadas nessa semana no Estado, continuam vigorando. Por isso, o governador reforçou a orientação pra que as pessoas permaneçam em casa. “O desafio pode ser maior que nossa capacidade de resposta, então vai depender das ações que estamos tomando nestas duas primeiras semanas de isolamento social”, avaliou.

Para o plano de retomada, ele explicou que a manutenção da restrição ao transporte coletivo leva em conta o risco de transmissão da doença. “Nós entendemos que ele é um meio de circulação do vírus que facilita muito o contágio em todas as faixas etárias, todas as categorias de pessoas vulneráveis. É a atividade em si que apresenta risco, e não as pessoas”, disse.

Ainda destacou que o plano foi elaborado com discussões com os setores envolvidos, com medidas pra que a população possa conviver com o vírus de forma segura. Na retomada gradativa das atividades, o governo definiu regras para serviços privados não essenciais que serão autorizados parcialmente. Entre elas estão obrigações de limitação de público e recomendação pra afastar os trabalhadores que fazem parte do grupo de risco da doença.
Confira o que será liberado, suspenso ou restringido:

A partir de segunda-feira, dia 30 de março
Autorizadas parcialmente, por tempo indeterminado:
– agências bancárias, correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito, exclusivamente para atendimento de pessoas que necessitem de serviços bancários presenciais.

A partir de quarta-feira, dia 1º de abril
Continuam suspensas, por sete dias:
– circulação de veículos de transporte coletivo urbano municipal e intermunicipal de passageiros;
– circulação e a entrada no território catarinense de veículos de transporte interestadual e internacional de passageiros, público ou privado, bem como veículos de fretamento para o transporte de pessoas.

Autorizadas parcialmente, por tempo indeterminado:
– atividades e os serviços privados não essenciais, como academias, shopping centers, bares, restaurantes e comércio em geral;
– atividades do setor hoteleiro;
– atividades de construção civil;
– escritórios de prestação de serviços em geral;
– centros de distribuição e depósitos;

Autorizadas totalmente:
– serviços autônomos, domésticos e os prestados por profissionais liberais.

 
Regras pra estabelecimentos e serviços

1) Para locais com permissão de atendimento ao público e entrada de pessoas:
– limitação de entrada de pessoas em 50% da capacidade de público, podendo o local estabelecer regras mais restritivas;
– controle de acesso e marcação de lugares reservados aos clientes, bem como o controle da área externa, respeitadas boas práticas e a distância mínima de 1,5 metro entre cada pessoa;

2) Priorização do afastamento, sem prejuízo de salários, de empregados pertencentes ao grupo de risco, tais como pessoas com idade acima de 60 anos, hipertensos, diabéticos e gestantes;

3) Priorização de trabalho remoto para os setores administrativos;

4) Adoção de medidas internas, especialmente aquelas ligadas à saúde no trabalho, pra evitar a transmissão do coronavírus no ambiente de trabalho e no atendimento ao público;

5) Utilização de veículos de fretamento para transporte de trabalhadores, ficando a ocupação de cada veículo limitada a 50% da capacidade de passageiros sentados.

João Batista
Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Associação Educacional Luterana Bom Jesus/Ielusc, de Joinville (SC). E-mail: geral.diarinho@gmail.com
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com