Home Notícias Geral Ênio Casemiro é condenado por tráfico de influência

Ênio Casemiro é condenado por tráfico de influência

Cunhado do ex-prefeito teve pena de prisão substituída por multa de 50 salários

Torres seriam erguidas em área de mata Atlântica e perto de parque

empresário Ênio Casemiro, cunhado do ex-prefeito Jandir Bellini, de Itajaí, foi condenado por tráfico de influência no caso de aprovação do projeto de viabilidade do empreendimento imobiliário Porsche, em parceria com a construtora Carelli, na morraria da Praia Brava.

A sentença é da juíza Helena Vonsovicz Zeglin. Ênio foi condenado a dois anos e oito meses de reclusão, em regime inicial semiaberto. A pena foi trocada pelo pagamento de 50 salários mínimos de multa. Ele terá que desembolsar R$ 52 mil, além do pagamento de mais 12 dias de multa.

A juíza ainda determinou que o nome de Ênio seja inserido no rol de condenados dajustiça. Ele está com os diretos políticos suspensos.  Ênio informou ao DIARINHO que vai recorrer da decisão.

Livre acesso ao governo

Mesmo sem ter formação em engenharia ou arquitetura, o cunhado do prefeito foi contratado por Dalmo Carelli para encaminhar a aprovação prévia do projeto de construção das torres da Porsche. Ênio já foi vereador em Itajaí pelo PP e até já assumiu a presidência da câmara. Também foi secretário de Obras e superintendente do porto público de Itajaí.

Ênio teria recebido R$ 693,5 mil para atuar junto à secretaria Municipal de Urbanismo (SMU) para que o projeto de viabilidade do empreendimento fosse aprovado. O  caso ocorreu entre 2014 e 2015.

A Porsche, em parceria com a construtora Carelli, queria erguer no meio da mata nativa quatro torres com mais de 700 apartamentos. O empreendimento previa área comercial, de lazer e esporte para os moradores.

Em 2017, a antiga fundação Municipal de Meio Ambiente de Itajaí negou a licença ambiental para a construção das torres, sob alegação de que o empreendimento estava anexo ao parque Municipal da Ressacada e que, portanto, ficaria em área de preservação ambiental. O projeto nunca saiu do papel.

Na justiça, ainda corre um processo que apura improbidade administrativa, ambiental e criminal.

Dupla Face

Ênio também chegou a ser citado na operação Dupla Face, deflagrada em agosto de 2015, pelos agentes do grupo de Autuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco). A operação desmontou um suposto esquema de corrupção na prefeitura, que trabalhava em várias frentes. Uma delas estava relacionada a exigência de propina para aprovação de projetos da construção civil.

Secretários municipais, diretores da prefeitura, vereadores e empresários chegaram a ser presos. Ênio e o empresário Dalmo Carelli foram levados coercitivamente para depor mas não chegaram a ser indiciados nesta operação.

 
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com