Home Notícias Geral Doador morre e bombeiros de Piçarras ficam sem terreno pro quartel

Doador morre e bombeiros de Piçarras ficam sem terreno pro quartel

A doação de um terreno pra sede própria do corpo de bombeiros militar de Balneário Piçarras tá empacada. O pedaço de chão, que ia ser doado no meio do ano passado, chegou a ser aprovado na câmara de vereadores, mas a morte do proprietário atravancou a papelada. Os vermelhinhos perderam a garantia do repasse do governo do estado, mas os abobrões da prefa garantem que o negócio ainda está de pé. Enquanto os papélis não vão pra frente, os vermelhinhos se viram como podem em uma casa de veraneio transformada em um quartel improvisado.
Já estava tudo acertado. Como forma de pagamento de R$ 550 mil de dívidas do imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), a prefa piçarrense iria abocanhar um terreno de 2280 metros quadrados da família Santana. O chão, que fica na rua Aurélio Solano de Macedo, no centro, colado no rio Piçarras, seria doado ao corpo de bombeiros. A doação foi acertada no primeiro semestre do ano passado, quando passou pelo aval dos vereadores e um contrato foi firmado com a família. Duas semanas antes de fechar o negócio de vez, o proprietário, Joaquim Santana, morreu e as negociações ficaram atravancadas.
“O terreno está caucionado em nome da prefeitura. Depende do fim do inventário pra concluir a doação, mas está tudo garantido, existe um contrato formalizado entre a prefeitura e os herdeiros”, explica o abobrão do Planejamento, Francisco Teles.
O comandante do corpo de bombeiros Militar de Navegantes, que chefia também o quartel de Piçarras, tenente Maico Francisco Alcântara, classifica o episódio como uma infeliz fatalidade. A enrolação na doação fez os vermelhinhos perderem R$ 275 mil que já estavam no orçamento do ano passado pra construção da sede. “Existe a possibilidade de conseguir recurso pra este ano, podemos brigar por ele, mas pra isso precisamos ter a doação ao corpo de bombeiros de Piçarras”, diz Alcântara.
O vermelhinho diz que a prefa é pura parceria e que o terreno doado é baita. “É bem grande, vai proporcionar até uma expansão futura do quartel e está numa posição estratégica pro deslocamento”, afirma.
Enquanto a sede nova permanece no campo das ideias, os vermelhinhos trampam numa casa de veraneio improvisada, na avenida Nereu Ramos, que tem apenas um banheiro e é alugada por cerca de R$ 2 mil. “É pequena e não é adequada, mas era a única que estava com a documentação em dia pra fazer o contrato de locação com o estado”, explica Alcântara.
O local abriga os vermelhinhos desde a instalação do quartel na city, em dezembro de 2011. A casa está à venda e, enquanto a sede própria não desempaca, os vermelhinhos procuram uma nova pra alugar. Até o final do ano, os bombeiros vão receber um caminhão autobomba tanque resgate de R$ 500 mil e uma ambulância de R$ 160 mil.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com