Home Notícias Geral Detran apura uso de lacres sem registro por emplacadora de Balneário Camboriú

Detran apura uso de lacres sem registro por emplacadora de Balneário Camboriú

Processo administrativo foi aberto após fiscalização feita no ano passado

O Detran de Santa Catarina abriu um processo administrativo contra a empresa Placas Lenz, de Balneário Camboriú, após encontrar lacres sem registros no sistema PlacasNet numa outra emplacadora em Tijucas, que também é alvo do processo. A portaria que abriu a apuração foi publicada na semana passada, com base em fiscalização ocorrida ainda em 2019. A Lenz nega irregularidades, informando que fez o registro dos lacres no sistema pra ajudar os clientes da outra empresa.

A fiscalização ocorreu na emplacadora de Tijucas, onde os agentes da corregedoria do Detran encontraram cem lacres de propriedade da empresa de Balneário. Segundo o Detran, o material seria era usado na lacração dos veículos sem que os dados dos lacres fossem inseridos no sistema. O PlacasNet é integrado ao Detran e gerencia a fabricação de placas e o rastreamento de lacre veicular, permitindo o controle e a fiscalização.

De acordo com o termo de fiscalização da corregedoria, as empresas descumpriram resoluções do conselho Nacional de Trânsito e portarias estaduais do Detran que regulamentam as atividades de fabricação e lacração de placas e tarjetas de identificação de veículos. Se irregularidades forem confirmadas, as empresas podem perder o credenciamento junto ao estado. Uma comissão nomeada pela diretoria Estadual de Trânsito vai investigar o caso.

Segundo a responsável pela estampadora de placas de Balneário, Andrea Gomes Ribeiro Lenz, todos os lacres da empresa estavam inseridos no sistema. “Os lacres foram inseridos; eu estou funcionando, com alvará renovado. Se tivesse irregularidade, ela poderia fechar a minha empresa, por punição”, esclarece.

Andrea relatou que os lacres foram inseridos no sistema para ajudar o colega da outra empresa que estava sem sistema. “E ajudei os clientes dele, da forma correta”, conta, destacando que a própria portaria que abriu o processo administrativo confirma que o procedimento foi feito pela emplacadora de Balneário. O Detran não respondeu sobre o caso.

A empresária ressaltou que é comum o credenciado responder um processo administrativo com as portas abertas, sem que isso afete o funcionamento normal da empresa, considerando que todos têm direito à ampla defesa. “O tempo que pode durar depende da corregedoria do Detran de Santa Catarina, que vai definir os trâmites do processo”, completa.

João Batista
Formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Associação Educacional Luterana Bom Jesus/Ielusc, de Joinville (SC). E-mail: geral.diarinho@gmail.com
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com