Home Notícias Geral Correria pra vacina da febre amarela em Itajaí

Correria pra vacina da febre amarela em Itajaí

Apesar da região estar livre da doença, procura aumentou nos postinhos e clínicas

Em Itajaí, assim como em Santa Catarina, nenhum caso de febre amarela foi registrado, mas a procura pela vacina tem aumentado nos postinhos de saúde e também em clínicas particulares. A diretora de vigilância Epidemiológica de Itajaí, Sandra Ávila, destaca que a situação na cidade é tranquila mas as pessoas tão assustadas com as notícias do surto da doença em São Paulo.
Apesar do alarme, na rede pública os procedimentos continuam os mesmos, afirma Sandra. As pessoas que vão viajar para áreas de risco e que nunca tomaram a vacina ou foram vacinados há mais de 10 anos, devem procurar qualquer postinho pra tomar a agulhada.
A única novidade no calendário de vacinação é que, a partir deste ano, as crianças de noves meses de todas as cidades de Santa Catarina também devem ser imunizadas contra a febre amarela, conforme recomendação do ministério da Saúde.
Antes, a regra era apenas para as áreas de risco. Além de Santa Catarina, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia terão o reforço na proteção.
A dose disponibilizada nos postos de Itajaí é inteira. A vacina deve ser tomada no mínimo 10 dias antes da viagem.
Sandra confirma o que o povão tem dito por aí: a febre amarela pode ser transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Mas isso, explica, só se ele já tiver contaminado pelo vírus após ter picado uma pessoa com a doença. “Precisaríamos ter uma pessoa doente para o mosquito passar a doença para uma pessoa sã. Temos a presença do mosquito em nossa cidade, mas não temos a doença”, esclarece.
De acordo com o ministério da Saúde, são locais de risco as áreas de matas e rios nos estados das regiões Norte e Centro-Oeste, em partes do Nordeste e Sudeste e no oeste dos estados da região Sul.
Conforme a organização Mundial de Saúde (OMS), a vacina para quem vem ao Brasil é recomendada para Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Piauí. Devido ao surto da doença em São Paulo, a OMS incluiu todo o estado como área de risco de transmissão. Antes, a restrição era só pro interior. Foram 21 mortes desde o ano passado em São Paulo.

Tem vacina em Balneário

Em Balneário Camboriú, a população pode receber a vacina gratuitamente no posto de saúde Central, que fica na rua 1500, 1100, no centro. As pessoas que forem viajar para o exterior também devem tomar a dose-padrão da vacina (0,5 ml).
Nesses casos, é obrigatório apresentar o comprovante de viagem e também acessar o site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para realizar um cadastro. No dia da vacina, será emitido um Certificado Internacional de Vacinação, exigido nos aeroportos de outros países.

Nas clínicas particulares tá custando R$ 300

Na rede particular, a dose única da vacina pode chegar a R$ 300. Na Bravacinas, na praia Brava, a procura tem aumentado nos últimos dias. Em um único dia, foram aplicadas até 15 injeções, quando o normal fica entre uma ou duas.
A clínica informou que a maioria dos pacientes busca se proteger porque está indo viajar. Outros, apenas por precaução.
Há ainda casos de turistas de São Paulo que estão na região e procuraram a clínica para garantir a imunização antes de voltar para casa. O medo é que a vacina possa faltar no estado de origem, onde a aplicação tá sendo fracionada.
Moradora de Apiúna, dona Carla Koball Franzoi, 61 anos, foi uma das que se precaveu e tomou a vacina na clínica.
Ela vai viajar a passeio com a família pra Santos, no litoral paulista.Carla poderia receber a vacina no destino, mas preferiu garantir a dose antes de viajar. “Tem que ir preparada”, comentou. Na clínica a dose é única e vale pra vida toda.

JP

Sandro Silva
Tem 31 anos de jornalismo, formado em pedagogia pela Udesc e com MBA em Gestão Editorial. geral@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta