Home Notícias Geral Colégio pede pra alunos irem fantasiados de favelados do Rio de Janeiro em festa na escola

Colégio pede pra alunos irem fantasiados de favelados do Rio de Janeiro em festa na escola

Um bilhete enviado para os pais de alunos da quarta série do colégio Fayal causou revolta e polêmica em Itajaí. “O figurino para a nossa apresentação na Festa da Integração será: Você virá caracterizado de FAVELADO DO RIO DE JANEIRO”, pedem as professoras.
O caso foi exposto pelos pais nas redes sociais e logo causou revolta entre os internautas. A maioria considerou o pedido para uma criança ir vestida de favelado preconceituoso. “É triste perceber que esse tipo de preconceito, que eu tanto abomino, está sendo ensinando para nossos filhos dentro da escola. São preconceitos como esse que geram os estereótipos, que por sua vez causam a descriminação e arruínam a vida de tantas pessoas”, escreveu Elaine Mafra, mãe de um dos alunos.
Diante da repercussão, o colégio se manifestou. A direção do colégio pediu desculpas nas redes sociais e informou, através de uma nota de esclarecimento, que houve um equívoco no bilhete enviado às famílias. “Esclarecemos que a atividade proposta foi na verdade baseada na canção “Alagados”, do conjunto Paralamas do Sucesso, onde é citado a Favela da Maré, uma das maiores do Rio de Janeiro. Não viemos criar muros e sim trabalhar e expor estes movimentos de cidadania e inclusão”, diz a nota.
A diretora Fabiana Almeida afirma que a atividade proposta pela instituição era de caráter inclusivo e social, mas admite o erro escrito no bilhete. A Festa da Integração vai acontecer neste fim de semana na escola e todas as turmas irão participar e representar outras músicas.”

Confira a nota na íntegra:

“Viemos através desta transcrever nossos mais sinceros pedidos de desculpas , pois ainda que possamos ter explicações , reconhecemos a inadequação de uma frase descontextualizada. Ouvimos cada um de vocês, e explicamos o contexto da ação.  Jamais teríamos a intenção de criar estereótipos.

Nosso espírito educacional é sempre na intenção de realizar ações que possam somar com a comunidade . É de prática cotidiana o acolhimento e humanização a nossos alunos , famílias e funcionários .

Houve um sério equívoco no bilhete enviado às famílias dos 4os anos e que separado do contexto a que pertencia tornou-se inaceitável.

Esclarecemos que a atividade proposta foi na verdade baseada na canção “Alagados” do conjunto Paralamas do Sucesso, onde é citado a Favela da Maré, uma das maiores do Rio de Janeiro, onde vivem hoje 130 mil pessoas ,em comunidades que se estendem entre a avenida Brasil e a Linha vermelha – duas das mais importantes vias de acesso à cidade. Não viemos criar muros e sim trabalhar e expor estes movimentos de cidadania e inclusão.

Não aceitamos racismo, xenofobia, homofobia ou qualquer intolerância de classes. Nossos 55 anos de história atestam esta postura.

Convidamos a todos para acompanharem o nosso trabalho que sempre privilegiou os valores e reafirmar que repudiamos toda e qualquer forma de exclusão. Por isso estamos indo além do pedido de desculpas. Assumimos aqui um compromisso público de sermos cada vez mais intolerantes e intransigentes nesse sentido. Enfrentaremos esse momento com humildade e o superaremos, fica o aprendizado.”

Fran Marcon
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com