Home Notícias Geral Cerca de 500 funcionários do presído da Canhanduba podem ser demitidos por falta de repasse

Cerca de 500 funcionários do presído da Canhanduba podem ser demitidos por falta de repasse

Segundo empresa que presta o serviço, o governo está há oito meses sem pagar

A empresa Montesinos, administradora do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, localizado na Canhanduba, garante que desde o início de 2016 o atraso nos repasses vem se intensificando e atualmente o governo tem uma inadimplência superior a oito meses, além de não pagar as diárias dos presos excedentes desde 2012 e nem ter repassado os reajustes previstos nos contratos de trabalho. Na quarta-feira (20) a empresa teria iniciado a emissão dos avisos prévios. Caso os pagamentos sejam regularizados até o final de outubro, a Montesinos afirma que a prestação pode ser retomada e os funcionários seriam readmitidos.

A Montesinos pertence ao grupo Ondrepsb e também administra a penitenciária de Joinville, somando as duas unidades são 1400 funcionários prestes a perder o emprego, 500 deles lotados na Canhanduba. “O pessoal fica preocupado, a gente sabe que a empresa tinha contrato de cinco anos com o Estado. Não sabemos se eles perderam a licitação. São mais de 500 pessoas desempregadas, muitos ainda pais de família”, comenta um funcionário que pediu para não ser identificado.

 

Elaine Mafra
Jornalista formada pela Univali em 2006. elaine@diarinho.com.br
Compartilhe: