Home Notícias Geral Casal diz que terá que sair de apê porque adotou cachorro com nome de José; dona do imóvel desmente

Casal diz que terá que sair de apê porque adotou cachorro com nome de José; dona do imóvel desmente

José seria o motivo da discórdia

Um casal que mora no bairro da Barra, em Balneário Camboriú, diz que terá que sair do apartamento onde mora há três anos porque adotou um cachorro com o nome de “José”. O nome seria o mesmo do marido da dona do imóvel, e ela teria ficado chateada e exigido a saída do casal. A dono do apê, contudo, alega que o contrato venceu e que não tem interesse em renová-lo.
O encanador Moisés Ferreira e a esposa Vanuza Guimarães, ambos de 35 anos, chegaram a registrar um boletim de ocorrência na polícia Civil sobre o que chamam de discriminação. Eles contam que moram no apartamento da rua Bruno Zabel desde 2017.
Só que até o próximo dia 7 de outubro, eles terão que sair do local porque a dona pediu o apartamento de volta. “Eu tinha um cachorro e um gato. No dia 12 de setembro, eu adotei um outro cachorrinho que foi maltratado pela família, foi abandonado. Eu vi a história, corri atrás e adotei o José”, conta.
Vanuza diz que a dona soube da adoção e pediu o apartamento de volta em seguida. “Ela me mandou mensagem, alegando que eu vou ter que sair do apartamento, porque o nome do cachorro é José. Mas ele já veio com o nome do José. Nem sabia que o nome do esposo dela era José. Ela pediu o apartamento por preconceito com o cachorro”, alega.
Vanuza, além de registrar o boletim de ocorrência, está tentando ver com um advogado se existe alguma possibilidade de continuar no apartamento. Ela conta que sempre pagou o aluguel em dia e não acha justo ter que deixar o local só porque adotou um cachorro.
Dona desmente
A dona do apartamento, que está fazendo um tratamento de câncer, desmente que o nome do cachorro seja o motivo para querer o apê de volta. “Não vamos misturar as coisas. Está no meu direito pegar o apartamento de volta, não tem nada a ver com cachorrinho ou nome de cachorrinho. Eu dei 30 dias para ela sair, eu estou no meu direito, o apartamento é meu”, rebate a dona, que pediu para não divulgar o seu nome.
Ela conta que deu desconto no valor do aluguel por conta da pandemia e que durante anos aturou “grosseria” dos inquilinos. “O apartamento é meu e eu quero de volta”, resumiu. Ela contou que irá vender todos os apartamentos que têm alugados.

Fran Marcon
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com