Home Notícias Geral Barulheira em usina de reciclagem volta a ser alvo de reclamações

Barulheira em usina de reciclagem volta a ser alvo de reclamações

Moradores do outrora tranquilo bairro da Itaipava, em Itajaí, voltaram a procurar o DIARINHO para denunciar a empresa Ecovale Usina de Reciclagem, que trabalha no tratamento de resíduos urbanos em uma área aberta da avenida Itaipava.

O morador de uma residencial próximo, C.I.J.N, diz que a situação é enfrentada por ele e outros moradores no dia a dia. As queixas são pelo barulho intenso das máquinas que começa pela manhã e segue até o fim do dia e também pela quantidade de lixo e poeira no terreno. No vídeo enviado à reportagem, ele mostra as máquinas funcionando a partir das 8h20.

Essa não é a primeira vez que o caso é denunciado ao DIARINHO. Em agosto do ano passado, uma reunião aconteceu entre moradores, representantes da empresa e o órgão fiscalizador da prefeitura de Itajaí. Na ocasião, uma medição foi realizada para verificar o barulho, mas o morador alega que durante a fiscalização as máquinas não estavam funcionando na potência normal.

“A medição não foi com a máquina totalmente trabalhando, ela foi feita quando não tinha nada na esteira. A rotação estava muito baixa. Eles falaram que se aumentasse o barulho eles iam voltar a fiscalizar, mas eu enviei o vídeo para a Famai e não me responderam, nem voltaram para fiscalizar”, reclama o morador, que mora desde setembro de 2018 no local. O caso vai ser denunciado ao Ministério Público.

Última fiscalização rolou em janeiro

O Instituto Itajaí Sustentável (INIS) informou que a última fiscalização foi realizada no dia 30 de janeiro deste ano, com medição sonora junto ao edifício Itaipava Club Residence. Segundo a nota do INIS, mesmo com todos os motores da empresa ligados, “as medições sonoras ficaram dentro das normas da NBR”.

“O Instituto também esclarece que tem conhecimento dos relatos de moradores sobre os resíduos (sujeira/poeira/ruídos) produzidos pela referida empresa, e que intensificará as fiscalizações nos próximos dias, com nova medição sonora no local”, completa o comunicado.

Empresa diz que segue as normas

O sócio administrador da usina, Wilson Rebelo Júnior, afirma que a empresa está dentro das normas no que diz respeito ao barulho emitido. Ele conta que os horários de funcionamento foram adaptados, das 9h às 11h45 e das 13h30 às 17h para diminuir o período de trabalho em respeito à vizinhança.

Com relação ao lixo, ele explica que a empresa recebe resíduos de caçambas da construção civil e, muitos vezes, o lixo que chega ao local é ocasionado pelo mau uso dessas caçambas pela própria população. A empresa conta com uma equipe para separar e dar o destino correto ao que é lixo orgânico e lixo contaminado.

A Ecovale trabalha transformando resíduos da construção civil, como entulhos, em material que será reaproveitado, como areia e brita. “A Ecovale é um modelo para vários municípios, é uma solução nova e sustentável para a construção civil. A fiscalização já esteve fazendo as medições e estamos abaixo do limite permitido”, afirma Wilson.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com