Home Notícias Geral Anequim aparece na praia Central

Anequim aparece na praia Central

Animal que encalhou na areia é parente do temido tubarão branco e é considerado perigoso

Segundo um morador que filmou o tubarão, crianças brincavam na água perto do local

Um anequim, espécie de tubarão do alto mar bastante agressivo, encalhou na praia de Balneário Camboriú na noite de quinta-feira. Crianças brincavam na água, bem perto de onde o tubarão apareceu. Apesar do alerta de alguns populares de que se tratava de uma espécie perigosa, um homem pegou o animal e o colocou numa caixa.
Ednei Manoel Silva, o Edinho, 44 anos, fazia sua caminhada pela praia Central quando avistou um aglomero de pessoas perto da água. Ao se aproximar, viu que no meio do grupo estava o tubarão. “Eu atuei na pesca durante uns 10 anos, tenho certo conhecimento e deu pra perceber logo que era um anequim”, disse ao DIARINHO.
Por isso, Edinho sabia do perigo que o animal representava. “Ele é furioso, qualquer coisa que vê ele ataca. E tinha uma criançada tomando banho por ali”, conta. Pra se ter uma ideia do perigo do bicho, em novembro de 2016, um anequim matou um pescador no Rio Grande/RS.
É de Edinho um dos vídeos que circula por grupos de Whatsapp sobre o tubarão na praia Central do Balneário. Na imagem alguém chega a falar que se trata de um tubarão branco. Um desconhecido colocou e tirou o tubarão mais de uma vez de uma caixa plástica. Edinho acredita que seja um dos pescadores artesanais da praia.
A captura de tubarões está proibida por lei. Mas não se sabe o destino do anequim que encalhou na praia Central. “Eu continuei a caminhar e depois, quando voltei, não vi mais o pessoal ali”, conta Edinho. O anequim também não estava mais por lá.
Ike Gevaerd, secretário do Meio Ambiente de Balneário Camboriú informou que a secretaria não foi informada da presença do anequim na praia. A Guarda Municipal Ambiental também não foi acionada para recolher o tubarão.
O oceanógrafo Jeferson Luís Dick, do projeto de Monitoramento das Praias, da Univali, também afirmou que a presença do anequim não foi informada

Parente do tubarão branco

O DIARINHO enviou o vídeo feito por Edinho para dois especialistas da Univali, os oceanógrafos Rodrigo Cordeiro Mazzoleni e Paulo Ricardo Schwingel. “Esse é um tubarão anequim, também chamado de mako, um parente do tubarão-branco”, afirmou o professor Paulo Ricardo. “Não é muito comum encontrar esta espécie encalhando em praias, porque ela é considerada mais oceânica”, completou o colega Rodrigo.
Segundo Paulo Ricardo, o anequim ocorre em todos os oceanos do globo e pode chegar a quatro metros de comprimento e quase meia tonelada de peso. O que pintou em Balneário, avalia o oceanógrafo, é jovem.
Os especialistas dizem que sem fazer uma análise no tubarão encalhado, fica impossível saber a razão de ter vindo para a costa. Uma das possibilidades é ele estar doente e outra é ter se ferido em algum equipamento de pesca.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com