Home Notícias Geral Alerta para aumento de animais peçonhentos em meses quentes

Alerta para aumento de animais peçonhentos em meses quentes

Alerta para aumento de animais peçonhentos em meses quentes. Foto: Divulgação

Com o início da primavera, em 23 de setembro, e o calorzinho que vem junto, aumenta o risco de acidentes com animais peçonhentos. A Vigilância Epidemiológica de Itajaí registrou 65 notificações em 2018 e, até o fim de agosto deste ano, 34 ocorrências foram contabilizadas.

Pra evitar que o número cresça, a secretaria de Saúde alerta os cuidados necessários. É válido ressaltar que as medidas de prevenção evitam diversos acidentes.

São considerados animas peçonhentos aqueles que produzem peçonha, o popular veneno, e que podem até matar. Serpentes, escorpiões, aranhas, lagartas e abelhas são os animais que mais causam acidentes no Brasil. Eles podem ser encontrados comumente em locais com acúmulo de entulhos, ambientes úmidos ou secos e em buracos ou frestas.

Algumas dicas importantes são:

– Mantenha o quintal, jardim paiol e celeiros sempre limpos;

– Não acumule de lixo e entulhos, principalmente ao redor da residência;

– Vede frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;

– Evite plantar trepadeiras e bananeiras próximo da residência;

– Ao realizar atividades rurais, de jardinagem e limpeza de paiol ou celeiros, utilize sempre roupas de manga longa, luvas de raspa de couro e botas de cano alto;

– Inspecione roupas e calçados antes de usar;

– Em caso de acampamentos, antes de se instalar inspecione bem o local e evite vegetações densas.

Entretanto, se o acidente ocorrer mesmo com as prevenções realizadas, ações apropriadas ajudam a minimizar o agravo do quadro clínico. Siga as orientações:

– Lave o local com água e sabão;

– Não coloque nenhuma substância em cima do local;

– Procure atendimento médico o mais rápido possível;

– Se possível leve o animal junto, para identificação;

– Beba bastante água;

– Se estiver sozinho, peça ajuda, alguns venenos podem causar mal-estar, sonolência etc.;

– Não tente “chupar o veneno”, essa ação apenas aumenta as chances de infecção local;

– Mantenha repouso.

O diagnóstico é realizado com base na identificação do animal causador do acidente. Em alguns casos, há recomendação de exame complementar. O tratamento é sintomático e com soro antiveneno, de acordo com cada espécie e com cada situação.

Todos os tratamentos são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de maneira integral e gratuita. Procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS) próxima pra receber o atendimento e encaminhamento adequado.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com