Home Notícias Esporte Eurico Miranda morre aos 74 anos

Eurico Miranda morre aos 74 anos

Eurico Miranda morre aos 74 anos

Icônico e polêmico, Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco, morreu no início da tarde de ontem no Rio de Janeiro. Aos 74 anos de idade, o dirigente lutava contra um câncer no cérebro e teve o estado de saúde agravado nos últimos meses. Após complicações pela manhã, ele foi levado ao hospital, mas não resistiu. Ele deixou esposa, quatro filhos e sete netos.
Eurico não fez nenhuma aparição pública recente devido ao estado de saúde. Ele estava com dificuldades até para se alimentar e usava uma cadeira de rodas para se deslocar. Em casa, a família tinha montado uma UTI com home care e enfermeiras se revezando para cuidar do dirigente. Até as visitas eram controladas.
O estado dele piorou no início do ano passado e mesmo assim a figura continuou comparecendo aos jogos do Vasco em São Januário. Antes do câncer no cérebro, ele tinha vencido um câncer na bexiga e outro no pulmão.
Eurico foi presidente do Vasco de 2003 a 2008 e depois, na passagem mais recente, de 2015 a 2017. Entre 1990 e 2002, foi vice-presidente. Ele estava presente nos bastidores do clube nas principais conquistas, como o Brasileirão de 97, a Libertadores de 98, as copas João Havelange e Mercosul em 2000. Atualmente, ele era presidente do conselho de Beneméritos.

Ficou na história
Foram 52 dos 74 anos ligados ao Vasco da Gama. A figura do ex-presidente Eurico Miranda com certeza ficará para sempre na memória do torcedor cruzmaltino. Durante a longa trajetória, Eurico conquistou apoiadores e rivais, tendo ódio e amor ao seu personagem.
A marca dele era de desafiar quem fosse para defender seu ponto de vista. “Quem falou?” ou “Crise? Que crise?” foram frases usadas para questionar adversários políticos, dirigentes, jornalistas e até notícias desfavoráveis.
De todas as conquistas do Vasco, as mais especiais e mais comemoradas por Eurico eram as vitórias contra o maior rival Flamengo. A rivalidade entre as equipes, pare ele, se tornou algo particular. “Vasco x Flamengo é um campeonato à parte”, dizia.
Com passagem também pela Confederação Brasileira de Futebol, Eurico pediu demissão em 1989, oito meses depois de assumir, por desentendimentos com Ricardo Teixeira.
De todas as polêmicas protagonizadas por ele, a mais recente foi a eleição do Vasco em 7 de novembro de 2017. A vitória de Eurico foi anulada pela Justiça por fraude nas urnas.

Fran Marcon
Formada em Jornalismo pela Univali, com MBA em Gestão Editorial. fran@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com