Home Notícias Especial ITAJAÍ 159 ANOS | Reconectar o povo com o rio que batiza a cidade ajuda a construir a Itajaí do futuro

ITAJAÍ 159 ANOS | Reconectar o povo com o rio que batiza a cidade ajuda a construir a Itajaí do futuro

Depois de ser sede da Volvo Ocean Race três vezes, Itajaí se tornou o xodó de empreendedores graças à localização estratégica, resgate da vocação náutica e investimentos em esporte, lazer e turismo

Como disse o escritor irlandês Edmund Burke, um povo que desconhece sua história está condenado a repetir os mesmos erros. E, da mesma forma, um povo que perde a conexão com suas origens, fica mais vulnerável a processos de massificação que promovem o apagamento da relação da comunidade com a sua terra. O desafio deste especial é mostrar como o poder público, empreendedores e memorialistas estão empenhados em resgatar a relação do homem com o rio, fonte de potência cultural e econômica, para construir uma Itajaí sustentável, moderna, aberta para o novo, sem abrir mão de sua originalidade.

A Volvo Ocean Race foi um evento catalisador que colocou a cidade no mapa de investimentos, e não só deu gás àqueles que apostavam na volta da atividade náutica na área comercial, mas também em sua verve esportiva. Neste sentido, o caderno traz uma matéria sobre as atividades desenvolvidas na Associação Náutica de Itajaí, que tem ampliado ano a ano os cursos para jovens nas áreas de remo e vela, inclusive em nível competitivo, como tem proporcionado aos mais velhos realizar o sonho de navegar pelas águas que os antepassados navegaram para povoar e construir nossa cidade.

Antes de ser um time de futebol, o Marcílio Dias começou sua trajetória como clube de remo, assim como os cariocas Flamengo e Vasco da Gama. O biógrafo do rubro-anil, Fernando Alécio, revela como era a sociedade peixeira nos anos 20 e 30, em seu segundo livro, quando as regatas no rio Itajaí-Açu atraíam em peso a comunidade nos finais de semana. Assim como a aventura dos pioneiros por mares nunca antes navegados.

Na área econômica, trazemos uma reportagem sobre os planos de ampliação da Marina Itajaí, que sedia no mês que vem a quarta edição da feira náutica. Uma feira inspirada em eventos glamurosos que acontecem na França e Itália, e pretende entrar para o calendário cultural da cidade, ao aliar negócios com lazer e gastronomia. E desta vez, com entrada gratuita.

O leitor também vai se surpreender com os projetos que o poder público está desenvolvendo para revitalizar as margens do rio Itajaí-Açu, investindo em paisagismo e mais mobilidade para o pedestre visitar a área do cais, e valorizando a história do Porto de Itajaí no museu instalado num prédio histórico que servia como alfândega. O engenheiro Marcelo Salles também revela os investimentos do porto para se adequar a evolução dos navios transatlânticos e comerciais que estão cada vez maiores.

Outro resgate histórico é com relação ao Iate Clube Cabeçudas, que foi fundado em 1958 por figuras ilustres, como o banqueiro Genésio Miranda Lins e o empresário Carlos Renaux, e hoje é local disputado de eventos, principalmente casamentos. Este renascer foi possível depois de um longo processo de reformas que atualizou suas instalações e deixou os equipamentos em conformidade com as normas de segurança. Sem falar na valorização da vida à beira-mar.

Na saideira, uma matéria sobre a cultura do boteco que chegou na cidade para ficar. Afinal, se só é possível filosofar em alemão, para quem mora na beira do rio, é no bar que as ideias surgem e se renovam, através do bate-papo animado, regado a chope e caipirinha, com um bom petisco para fazer aquela base e a noite se prolongar.

Bom appetit!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com