Home Notícias Especial GUIA ESCOLAS 2019 | Saiba como escolher a escola mais adequada da região para o seu filho

GUIA ESCOLAS 2019 | Saiba como escolher a escola mais adequada da região para o seu filho

escolha da escola adequada para os filhos não é uma tarefa fácil. Questões financeiras, de afinidade com o perfil da instituição, proximidade geográfica, horários e o método devem ser observados.  Para facilitar essa escolha, o DIARINHO traçou o perfil de 22 escolas da região.

Ouvimos a professora do curso de pedagogia da Univali, Maria Fernanda D’Ávila, para saber quais são os principais pontos que os pais precisam analisar no momento da escolha. De início, a professora já deixou claro: “não existe escola ideal. Existe a escola em que você é acolhido”.

A professora alerta, também, quando o caso é mudar o filho de escola. Ela recomenda uma conversa franca com a criança e  com a coordenação da escola. Os pais precisam se perguntar se é mesmo preciso trocar a instituição. Se a troca acontece durante o ano letivo, o desafio é ainda maior. D’Ávila orienta que antes da decisão final, os pais ajustem os problemas e tentem manter a criança ou o adolescente na atual escola. “Ali já há os amigos, professores que são referência, ambiente seguro e familiar”, destaca.

Se a mudança for mesmo necessária, a professora aconselha uma conversa aberta com a criança para incluí-la no processo de escolha da nova escola. Esse passo é essencial.

Listamos alguns pontos que os pais precisam levar em consideração na hora da escolha.

1.Corpo docente:

Entre os fatores listados pela professora, a formação dos professores foi colocado como item principal. D’Ávila alerta os pais para que foquem, além da formação inicial desses professores, também, na formação continuada que eles recebem. Isso ajuda na atuação qualificada e efetiva nos processos de ensinar e aprender das crianças e adolescentes.

2.Religião:

Se a religião tiver um peso importante na vida familiar, é importante que os pais encontrem escolas que não conflitem com o posicionamento religioso da família. É importante analisar as condições religiosas de cada instituição.

3.Proximidade geográfica:

Um fator que pesa muito no dia-a-dia dos pais é a distância da escola. A escola escolhida faz parte do trajeto rotineiro, de ida e vinda do trabalho, por exemplo Se a criança for a pé para a escola, chegar cansada não vai ser benéfico para os estudos. Importante também se alertar para a segurança do trajeto.

4.Grana:

Os valores das mensalidades com certeza tem um peso alto na decisão final dos pais.  É preciso colocar tudo na ponta do lápis: material escolar, didático, lanches, atividades extras. Muitas escolas já tem serviços inclusos no valor das mensalidades, outras optam por cobrar por fora. Tudo precisa ser calculado para ver se encaixa no orçamento.

5.Participação dos pais:

Uma equipe que entende a importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos é fundamental. A professora D’Ávila explica: “Não existe escola ideal, existem boas escolas. E a escola que você escolhe participar com os filhos é a adequada”, resume.

6.Conhecer a rotina:

Outro ponto importante, ligado a participação dos pais, é o conhecimento da rotina escolar. A professora aconselha que os pais visitem a mesma escola mais de uma vez. Entrada e saída, atividades extras, hora do parquinho, das aulas. “Às vezes, na visita, para fazer a matrícula e saber da parte financeira, os pais não dão conta de entender como a escola funciona e como as crianças vivem a rotina daquele espaço,” alerta.

7.Infraestrutura:

O ambiente em que a criança vai passar de quatro até oito horas do dia precisa ser escolhido com cuidado. D’Ávila aconselha escolas com espaços externos amplos, arejados, acesso para brincar, aprender e com muito verde. “As crianças de hoje têm pouco espaço externo e verde em casa. Elas precisam desse espaço, já que vão ficar muito tempo nesse lugar”, explica.

8.Atividades extras:

A escola também precisa incentivar atividades culturais, esportivas, artísticas e que ajudem no desenvolvimento dessas crianças, como robótica, informática, inglês e outros idiomas.

9.Modernização:

Com a galerinha da geração Z, a escola precisa conciliar o ensino tradicional com o tecnológico. A tecnologia já está inserida na vida das crianças e adolescentes, exclui-la não é uma opção. Por isso, é importante que escolas façam uso das extensões tecnológicas e as trabalhem como agregadoras e não inimigas dos alunos. 

10.Vestibulares:

Para os jovens do ensino médio, é importante que as escolas tenham uma atenção quando o assunto é vestibular e Enem. Nos últimos anos da vida escolar, os alunos caminham em direção da vida acadêmica. Mas, para chegarem lá, é preciso passar por provas e mais provas. É necessário que as instituições tenham didática e conteúdo para preparar esses jovens para o cronograma intensivo de provas que acontece aos finais dos anos.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com