Home Notícias Especial 40 ANOS | João e Márcio acordam cedo para esperar pelo DIARINHO

40 ANOS | João e Márcio acordam cedo para esperar pelo DIARINHO

Nem bem o dia amanhece, João Kantowicz, 80 anos, olha pela janela pra saber se o entregador já deixou seu exemplar do DIARINHO, no bairro Fazenda. Isso porque o jornal quarentão faz parte de seu café da manhã, desde os tempos em que a sua oficina de eletroeletrônica era uma das mais ativas de Itajaí. “Ele fica uma arara se o entregador atrasa. Sem o DIARINHO, o dia não começa”, conta o filho Márcio, 52, que ajuda o pai desde que ele teve um AVC, há 12 anos.

Assim como muitas profissões, o ofício de João foi desaparecendo em função da evolução tecnológica, mas o hábito de saber dos últimos acontecimentos através do jornal nunca mudou. Ele conta que a parte que mais gosta é o caderno de classificados. “Já fiz muito negócio através do Transe Tudo. Eu comprava TVs usadas, consertava e vendia. E como os assinantes não pagam pelo anúncio, não gastava nada e sempre tive um bom retorno”, conta João.

Já o filho Márcio, que sempre trabalhou como assessor político, gosta da editoria de Geral, onde rolam as denúncias das falcatruas, que sempre foram abundantes. “Nossa, teve matéria que eu jurava que o DIARINHO não teria coragem de publicar, como da operação Gaeco, em que secretários de governo e vereadores foram presos. Achei incrível”, elogia Márcio, que agora está cursando Direito.

Jornalismo investigativo

Ele conta que presenciou tanta maracutaia trabalhando com políticos, que preferiu, em 2016, voltar pra faculdade. “Esse negócio de mala de dinheiro, de dinheiro na cueca, de depositar em conta de laranja, tudo isso eu vi. A decepção foi tão grande que agora pretendo trabalhar como advogado para defender as pessoas que são injustiçadas”, revela. Márcio já tem formação em Ciências Sociais.

O estudante de Direito acredita que o jornalismo investigativo nunca foi tão importante como agora, mesmo que muita gente só se informe através das redes sociais. “Eu já abandonei o Facebook porque me roubava muito tempo. Prefiro me informar em órgãos de imprensa que são mais confiáveis”, defende. “Político, no geral, só pensa em ganhos pessoais, se não for a imprensa, o estrago seria ainda maior”, avalia.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com