Altevir Baron

Diretor da FG Empreendimentos

NOME: Altevir Baron
NATURAL: Itajaí
IDADE: 43 anos
ESTADO CIVIL: divorciado
FILHOS: dois
FORMAÇÃO: administrador de empresas, com especialização em Vendas e Marketing
TRAJETÓRIA PROFISSIONAL: Atuou no departamento de vendas e marketing da Nutrimental SA; atuou na diretoria da Unimed. Atualmente é diretor de marketing e vendas da FG Empreendimentos

Altevir Baron fala com paixão do trabalho que comanda na FG Empreendimentos, que foi considerada em 2018 uma das 10 maiores construtoras do Brasil (ranking ITC). Há meia década, ele é o executivo de marketing e vendas da construtora catarinense e ajudou a revolucionar a forma de fazer negócios da empresa. Foi o responsável pela sacada de escolher mulheres lindas e poderosas para comandarem as campanhas publicitárias da FG. Primeiro a internacional Sharon Stone, depois Grazi Massaferra e quando o público já se perguntava quem seria a próxima estrela da constelação, apareceu Claudia Raia. O evento que lançou a campanha publicitária de Claudia Raia reuniu 1000 corretores e donos de imobiliárias convidados de todo o Brasil.
À jornalista Franciele Marcon, Baron falou sobre a força do mercado da construção civil, as estratégias de marketing da empresa, o aumento das vendas da FG, o perfil do consumidor alvo no mercado de Balneário Camboriú e sobre as próximas cidades da região que podem passar por um boom imobiliário. As fotos são de Fabrício Pitella.

“Temos belezas naturais a serem exploradas para tornar o litoral norte de Santa Catarina uma rota mundial de turismo”
DIARINHO – A FG fez pelo menos três campanhas icônicas com mulheres lindas e de sucesso, com Sharon Stone, Grazi Massafera e recentemente Claudia Raia. São mulheres de idade, beleza e trajetória diferentes. O que elas têm em comum para estrelarem campanhas da construtora?
Baron: Cada uma teve uma etapa bem importante. A Sharon teve a projeção internacional. Ela conheceu Balneário Camboriú e ao conhecer Balneário teve uma relação de amor à primeira vista com o nosso estado e, principalmente, com o nosso litoral. Ela conheceu um pouco da empresa, os nossos prédios, os projetos e foi havendo um consenso em que foi possível viabilizar um contrato com uma atriz internacional. Isso nos deu uma projeção, indiscutivelmente, nacional, com tudo aquilo que ela já realizou como atriz e com a sua história. Também nos deu uma projeção de certa forma internacional, nos colocando à altura de grandes marcas. Naquele momento a Sharon Stone não só foi a nossa garota propaganda, mas também “assinou” junto com os nossos engenheiros, os nossos arquitetos, os nossos projetos. Temos a beleza de uma mulher internacional, uma diva, uma mulher consagrada, uma atriz que tem um lastro de grande sucesso e de grandes nomes aliados a outras atrizes famosas no mundo. Isso nos projetou enquanto marca. Importante dizer que o papel de compra, falando como um executivo que trabalha na estratégia da tomada de decisão pelos clientes, a mulher exerce 80% da decisão final da compra de um apartamento para a família. O homem acompanha, participa do processo, mas a mulher, preponderantemente, toma a decisão final. Seguimos em frente e fomos fazer uma nova apresentação de uma garota propaganda e olhamos para o mercado, mercado internacional também, encontramos nomes como Charlize Theron, pensamos em um homem, pensamos no Cristiano Ronaldo, pensamos em Jennifer Aniston. Mantivemos contato com algumas atrizes internacionais, mas em um dado momento das nossas reuniões com os acionistas, vimos que o Brasil passava um momento diferente, um momento político. O clamor das ruas era a bandeira nacional, o hino nacional, o verde e amarelo. Nesse momento a gente pensou: por que não a beleza brasileira agora?! A gente começou a olhar para dentro do Brasil e quando a gente fez essa busca, chegou na Grazi, que tem essa história linda de família, um lastro de uma biografia que nos surpreendeu e vai muito ao encontro de todo o brasileiro – aquela garra, aquela vontade, a inspiração. Começamos a conversar. Ela conhece Balneário, conhece os nossos empreendimentos. Não foi nenhuma surpresa o sucesso com a Grazi. Tínhamos certeza que seria bem aceita pelo público. Fizemos recentemente uma nova etapa da nossa campanha de vendas e nessa campanha a gente teve o privilégio de trazer para o nosso estado, para Santa Catarina, uma das mais belas entre as mais belas, entre os destacáveis e notáveis nomes da televisão brasileira, que é a Claudia Raia. Ela é uma pessoa maravilhosa, no jeito de ser, uma atriz consagrada. Ela não está no início da carreira. Todas as novelas que ela já fez no Brasil, desde a década de 80, com o seu charme, sua seriedade, sua sofisticação e beleza. O reconhecimento que ela tem no decorrer da carreira, fez com que a gente tivesse essa aproximação. Em uma empresa, sob o ponto de vista do marketing, ter uma celebridade que transcende muito a relação comercial, mas que humanize a empresa, que dê uma cara de humanidade para a empresa, não só de materialidade, mas de relacionamento, que seja cativante, que prenda as pessoas no sentido de vinculá-las no emocional. A empresa precisa ter uma estética externa, não só cores, logomarca, é preciso ser bem representada pelos executivos, pela equipe que trabalha. Você ter uma personalidade consolidada, que está trabalhando com a sua marca, e que possa gerar uma credibilidade, assinar junto com você uma campanha de vendas, assinar junto uma campanha com uma empresa, uma credibilidade institucional daquela organização, isso é muito positivo.

O mercado de Balneário Camboriú é o desejo de compra de boa parte dos brasileiros”

DIARINHO – Você tem uma carreira voltada para o comercial e o marketing. Como esse mercado funciona?
Baron: O marketing como ciência, não é uma ciência muito antiga, comparada a outras. Mas o marketing vem se transformando muito, deixando de ser opinião e sendo mais processo de pesquisas, consolidações de estatísticas, hoje existe muito material. Embora o marketing venha sofrendo alterações e mutações muito rápido, e até desafie a gente a se manter atualizado, existem os princípios do marketing, que são muito bem consolidados. Princípios escritos por mestres como Philip Kotler, um dos papas do novo marketing e que fez história nesses últimos 40, 50 anos. O marketing deixou de ser propaganda, deixou de ser estética, marketing passou a ser relacionamento. Nas esferas de marketing, você pode ter marketing pessoal, organizacional, que é uma empresa que se relaciona com o seu público, e assim vai. Marketing de político, de futebol, tudo é marketing. Mas marketing não é propaganda apenas. Marketing é um posicionamento de comunicação que você cria e quer transmitir para alguém. Dentro de um processo organizacional, quando você consegue implantar estratégia de marketing e um marketing bem intencionado, marketing verdadeiro, com conteúdo, que é aquele marketing que entrega ao público final aquilo que ele está prometendo, sem exacerbar nos argumentos, isso faz com que se tenha relações mais perenes e consolidadas com o seu público o tempo inteiro. Hoje temos clientes que tem quatro, cinco, seis apartamentos conosco. Ou seja, uma compra que se repete. Por que se repete? Porque a experiência de compra é verdadeira, é positiva. O marketing com conteúdo, o marketing eficiente, das boas práticas, ele retém, cativa, consolida e administra essa relação.

DIARINHO – Qual o perfil do público consumidor dos apartamentos da FG?
Baron: O perfil socioeconômico é AA e AB do Brasil inteiro. O perfil de idade gira de pessoas acima de 40 anos, até 60, 65 anos. Esse é o nosso perfil. Como a gente já falou anteriormente a decisão final, geralmente, é da mulher em torno de 80% e 20% da construção civil é do homem. [Essa estatística de que 80% da decisão final é tomada pela mulher fez com que a FG escolhesse mulheres poderosas para suas campanhas publicitárias?] Sim, sem dúvida. E mulheres da mesma faixa etária que espelham as nossas clientes.

DIARINHO – Quais as dicas para empresários que queiram agregar valor ao produto e, consequente, vender mais?
Baron: Se fala muito hoje sobre conhecimento, estratégias, receitas prontas… Eu acredito nas receitas prontas, eu acredito nas formas de sucesso que inúmeros empreendedores têm descoberto ao longo das suas trajetórias. Mas a melhor receita de sucesso é aquela que você faz olhando para o sue negócio. Olhando para o teu contexto, olhando para aquilo que você faz e o que faz bem feito, o que pode aprimorar e o que ainda não está fazendo. Tentar buscar fórmulas do porque aquilo não está sendo realizado por você ou pela sua equipe. Tentar transformar sua empresa, a ponto de deixá-la cada vez com mais qualidade. O final, geralmente, é resultado disto. Não existe uma receita que você recorta de algum lugar, cola na sua empresa e aquilo vai dar certo. O que existe é buscar inspirações e pessoas que estão descobrindo coisas que estão dando certo e você criar estratégias para adaptar à realidade. Lições que deram certo conosco, se forem aplicadas em outro ambiente organizacional, simplesmente podem não funcionar. Tem tantas variáveis envolvidas nisso tudo, que pode comprometer o resultado final. A melhor dica que eu posso dar ao empresário, aquele que é um empreendedor individual, aquele que é um executivo e toca um grande grupo de empresa: é olhar para si. Olhar para as suas forças, olhar para as oportunidades e eu diria algo que é muito importante: uma empresa não é formada apenas pelo CNPJ. Empresa é formada por pessoas. Quanto mais você investir em pessoas, no treinamento, no desenvolvimento, numa visão mais homogênea de estratégia de negócio, onde sua equipe consegue se mover junto com você aos objetivos finais. [Muitas empresas estão tentando automatizar os processos…] O processo de automatização vem para gerar rapidez, mas se ele se tornar automatizado demais é preciso se compreender que quem está se relacionando não é automatizado. Ainda que venham as novas gerações, que estão acostumadas com o mundo digital, o mundo cibernético, os robôs, é preciso entender que o ser humano não é substituível. Tudo isso existe por causa do ser humano, e o ser humano não existe por causa da tecnologia. O ser humano ainda é o centro do processo. A tecnologia como ferramenta que agrega, vem para estabelecer processos mais seguros, cada vez mais eficientes, mas ela não pode ameaçar a substituição da relação humana. Quando você está falando com uma pessoa do outro lado, nada melhor que “gente para gente”, “pessoa para pessoa”. Em tese, isso que eu estou falando é pouco provável que alguém discorde, mas como implantar isso?! Encontrar essa dose, esse equilíbrio?! Isso precisa ter sensibilidade, ter o olhar do gestor, o olhar do líder, precisa ter um feedback dos clientes lá na ponta, das pessoas que trabalham com você e até dos próprios concorrentes, que exploram as deficiências organizacionais uns dos outros para se tornarem mais no mercado. A tecnologia é bem-vinda, mas ela não pode substituir o fator humano. A alegria, o entusiasmo, o calor, o dizer: “olha, estou compreendendo o que você tá me pedindo e eu vou te dar uma resposta ao nível da sua necessidade”.

DIARINHO – Você está a frente da direção comercial da FG há cinco anos e foi responsável por uma revolução no conceito dos produtos. Como começou esse trabalho?
Baron: Primeiro ele nasce na alma dos nossos acionistas, na família Graciola. A família Graciola vem de uma história de sucesso e de muito empreendedorismo. Pra contrastar com esse mundo gigante, vem do interior de Gaspar e de uma família simples, do ponto de vista econômico, humilde, mas de grandes valores morais, éticos e familiares. O senhor Francisco Graciola, que é o nosso fundador, está presente conosco e o Jean Graciola, que hoje é o presidente da companhia, sempre foram grandes sonhadores e nunca sonharam pequeno. Seu Francisco sempre fala nas suas reuniões que o grande desejo dele é que qualquer pessoa, dentro da estrutura, possa dar dicas de como ficariam melhor os nossos prédios e a nossa empresa. Ele sempre fala que se a gente não precisasse ter paredes, seria melhor, porque as pessoas se olhariam nos olhos. Inspirado nisso, a empresa começou um processo de profissionalização. Trazer alguns executivos para ajudar essa visão, fazer com que ela ganhe corpo e se projete para o Brasil inteiro e para fora do Brasil. Eu tive a oportunidade de receber o convite de estar junto com a família Graciola, me unir a um sonho que, não só gerou para mim um desafio enquanto executivo, mas também gerou uma paixão, uma nova paixão. A minha profissão é a minha maior paixão, mas quando você trabalha para pessoas, trabalha para empresários, e você se enxerga naquela visão, aquela visão que eles têm, diz muito sobre você… você se entrega de alma, você se entrega de corpo, você se entrega de verdade. Aquilo passa a ser sua vida. Eu sempre falo aos mais jovens que a empresa ideal, ela existe na nossa mente, mas ela dificilmente vai ser encontrada no mundo real. O que a gente precisa saber é o lugar aonde faz sentido a gente se entregar. Quando isso fizer sentido, a gente começa a trabalhar para transformar aquele lugar em realidade. Eu, quando conheci o projeto FG, o planejamento estratégico que a empresa tem para os próximos 20 e 30 anos, eu me empolguei e eu acabei me entregando para o projeto. Daí saíram as estratégias de inovação. Saiu uma grande revolução na área comercial, como consequência dessa paixão, saíram novas diretrizes, novos projetos, uma ampliação dos resultados de vendas. Tudo aumentou, cresceu, tudo vem em ritmos acelerados. A empresa teve no primeiro semestre deste ano, comparando com o primeiro semestre do ano passado, 43% de aumento nas vendas. Isso num mercado onde você consegue contar nos dedos, com facilidade, as empresas que estão fora da curva.

Uma empresa não é formada apenas pelo CNPJ. Empresa é formada por pessoas”

DIARINHO – No final de semana você reuniu mais de mil corretores em um evento fechado em Balneário. Há mercado para tanta gente trabalhar?
Baron: O evento foi para celebrar a terceira etapa de uma campanha. As duas primeiras etapas foram um sucesso absoluto e a terceira etapa iniciamos agora e vai ter uma duração de nove meses. Esteve presente conosco o presidente e CEO da BMW do Brasil, uma das fábricas está aqui em Araquari. Tivemos a presença do prefeito, a presença do comandante da polícia Militar de Balneário Camboriú, o comandante Alexandre, tivemos a presença do Luciano Hang [Havan], que é um grande empresário, com destaque nacional. Aliás, o grande garoto propaganda do Brasil! A gente juntou o mercado de Balneário Camboriú e os corretores de Balneário. Foi um evento qualificado, dirigido para profissionais da área do mercado imobiliário, que são os corretores e donos de imobiliárias do Brasil inteiro. Existe uma série de imobiliárias no Brasil hoje, que querem ter a FG, Balneário Camboriú, no portifólio de seus produtos. Imobiliárias fora de Balneário Camboriú, no Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Porto Alegre e São Paulo. Essas imobiliárias premium ou prime, que tem uma carteira de clientes AA e AB, que é o perfil de compra dos nossos produtos, foram convidadas a estarem conosco. Nós tivemos aqui, esta semana, que foi a semana do evento, imobiliárias de todo o Brasil. Foi muito acima das nossas expectativas o evento. Nós tivemos mais de mil profissionais, tivemos caravanas inclusive de imobiliárias que vieram de vários lugares do Brasil e donos de imobiliárias que fecharam suas empresas, botaram suas equipes dentro de um avião e vieram para cá, para nos prestigiar e conhecer o que que está acontecendo dentro da FG com seus produtos. Conhecer Balneário Camboriú. Foi um sucesso absoluto! O mercado de Balneário Camboriú é um mercado que é desejo de compra de boa parte dos nossos brasileiros.

DIARINHO- Balneário tem um mercado de alto padrão e já com tradição no Brasil inteiro. Qual o diferencial dos edifícios projetados na cidade?
Baron: Balneário Camboriú ficou muito conhecida pela altura dos edifícios. Mas não é só isso. A estética dos edifícios também é inspirada naquilo que tem de melhor no mundo. A qualidade construtiva também. Nós procuramos fazer acabamentos e design para os nossos prédios que são inspirados em tudo que tem de melhor no mundo, como Dubai, Chile, Panamá e alguns lugares que já são referências no mundo pela sua qualidade construtiva. Fizemos uma composição: temos um lugar belo, que é o mar, lindo e maravilhoso, a infraestrutura natural da nossa região do litoral, principalmente, do litoral norte do estado. Temos prédios altos, apartamentos aconchegantes, credibilidade enquanto incorporadora e construtora, sofisticação do ponto de vista da marca, da imagem, das assinaturas, que nós temos com Sharon Stone, como Grazi Massafera, como Claudia Raia e outros que virão, que já estão no nosso radar também. Essa composição torna Balneário uma referência para esses públicos e enquanto cidade. O life style de Balneário Camboriú, a vida noturna, o aconchego da cidade, a estrutura de mercados, padarias, lanchonetes, tudo é muito pessoal, tudo é muito gostoso de se viver. Segurança pública, índice de desenvolvimento humano entre as cinco principais do Brasil, entre as cidades mais seguras do Brasil. É uma composição de itens que tornam Balneário Camboriú um atrativo para ser vendido em todo o Brasil.

DIARINHO – Há uma limitação geográfica no espaço de Balneário Camboriú. Os terrenos com potencial construtivo estão se esgotando. Quanto vale o metro quadrado hoje na área nobre da cidade?
Baron: Isso varia muito. Se a gente colocar hoje o metro quadrado dos apartamentos, que é uma boa referência para fazer esse cálculo, o metro quadrado de um apartamento de frente para o mar pode variar de R$ 26 mil a R$ 30 mil o m2. É caro o preço do metro quadrado dos terrenos em Balneário Camboriú. O que faz também ter o seu valor reconhecido pelos nossos clientes, porque se a gente diz que Balneário Camboriú tem um metro quadrado caro e não vende, aí você diz assim: não vende porque está caro. Agora quando você tem um metro quadrado caro e que vende, é porque alguma coisa boa tem ali. Quem paga tem a sua rentabilidade assegurada.

DIARINHO – Itapema também tem registrado um boom da construção civil com obras de altíssimo padrão e um público com grande poder aquisitivo. Quais serão as próximas cidades da região que estarão na mira da construção civil, além de Itapema e Balneário Camboriú?
Baron: Nosso litoral é muito bonito. Isso vai depender muito dos municípios, do poder público, governo, entenderem que a nossa região tem uma vocação turística. Nós temos Itapema, que já se consolida como destino turístico. Uma cidade maravilhosa, a Costa da Esmeralda, toda aquela beleza de praias. Itapema tem construído prédios, junto com as construtoras locais, de muito boa qualidade. São combinações muito parecidas com as de Balneário Camboriú, o que ocorre é que Balneário está muito mais avançada. Ela desfruta de uma experiência, de um know-how, já identificou que tem uma vocação turística e trabalha há mais tempo. Isso faz com que Balneário tenha essa vantagem competitiva. Temos outros lugares muito bonitos. Temos todo o norte do estado, Navegantes, Piçarras, Barra Velha. Tem várias oportunidades para serem desenvolvidas. Temos belezas naturais a serem exploradas para tornar o litoral norte de Santa Catarina uma rota mundial de turismo.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com