Home Notícias Economia Faltando dois meses para a Black Friday, expectativa é de aumento nas vendas

Faltando dois meses para a Black Friday, expectativa é de aumento nas vendas

São Paulo – Movimento no comércio da rua Teodoro Sampaio, em Pinheiros, durante o Black Friday (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Quando a Black Friday chegou ao Brasil, em 2010, gerou muita desconfiança por parte dos consumidores, que levantaram suspeitas de falsos descontos, a ponto do termo “Black Fraude” se tornar popular e o Procon ser ativado para fiscalizar as promoções. Porém nos últimos anos a data finalmente caiu no gosto dos brasileiros, as marcas souberam se adaptar melhor ao padrão de consumo nacional e as vendas aumentaram muito. De 2017 para 2018 as vendas na data cresceram 11,2%, e a expectativa é que este número melhore em 2019.

Engana-se quem pensa que o aumento das vendas é ocasionado pela situação econômica. A consolidação da data no Brasil passa por diversos outros fatores. O primeiro deles é o sucesso do comércio eletrônico. Em 2018, as vendas em e-commerce no país aumentaram 15%, enquanto as vendas no varejo tradicional cresceram apenas 2,3%. 

Na Black Friday, as compras online tiveram um crescimento de 25,2% em relação aos números de 2017, mostrando que o brasileiro finalmente está superando o descrédito atribuído às negociações virtuais.

A expectativa de alta nas vendas da Black Friday em 2019 também passa pelo maior conhecimento do perfil do consumidor. As lojas perceberam as características que diferenciam a data de outras datas famosas por descontos, como o Natal. 

Em vez de presentes para os outros, as pessoas buscam aproveitar os descontos para comprar algum produto que estão pesquisando e desejando há algum tempo. Além disso, também houve a percepção de que as pessoas priorizam os produtos mais caros na hora de aproveitar os descontos, como a TV 55 polegadas, os smartphones, eletrodomésticos e passagens aéreas.

Outra descoberta sobre o público fez crescer as vendas: no começo da década as grandes marcas miravam no público jovem, pensando que eles seriam os maiores interessados nos descontos, mas com o passar dos anos perceberam que a parcela da população mais disposta a aproveitar a Black Friday é a das pessoas na faixa dos 40 anos. Com essa visão, as lojas alteraram o perfil dos produtos promocionais e melhoraram as vendas.

Recentemente aconteceu a Semana do Brasil, uma ação do governo federal,  na tentativa de elaborar uma espécie de Black Friday nacional, mas a adesão de lojas virtuais não foi tão grande e por isso a data não atrapalhou a boa expectativa para a Black Friday, que acontecerá no dia 29 de novembro.

Sabendo de tudo isso, os lojistas e os consumidores passaram a se preparar muito mais para a data. As lojas já estão se adaptando ao estilo de compra em canais múltiplos, aquele em que o consumidor pesquisa na internet e compra fisicamente, tendência de consumo em 2019. Por tudo isso, é bem provável que daqui dois meses a Black Friday bata o seu recorde de faturamento no Brasil.

Elaine Mafra
Jornalista formada pela Univali em 2006. elaine@diarinho.com.br
Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com